Morre Abimael Guzmán, fundador da guerrilha peruana Sendero Luminoso

Peruano de 86 anos cumpria prisão perpétua desde 1992, condenado por terrorismo

  • Por Jovem Pan
  • 11/09/2021 18h41
Mariana Bazo/ReutersAbimael Guzmán morreu em prisão de segurança máxima no Peru

Morreu neste sábado, 11, aos 86 anos, Abimael Guzmán, fundador da guerrilha peruana Sendero Luminoso. Segundo um comunicado divulgado pelo Ministério da Justiça e Direitos Humanos do Peru, ele estava internado desde 13 de julho no Centro de Reclusão de Segurança Máxima da Base Naval de Callao, cidade litorânea do país. A causa da morte não foi informada. Conhecido pelo pseudônimo Professor Gonzalo, Guzmán cumpria prisão perpétua por terrorismo desde a década de 1990.

Em nota, o Ministério da Justiça do Peru afirmou que qualquer manifestação em homenagem a Guzmán será considerado apologia ao terrorismo. “O MINJUSDH recorda aos cidadãos que qualquer manifestação pública que apoie ou elogie qualquer grupo terrorista ou justifique as suas ações, bem como homenageie os seus dirigentes ou dirigentes, como Abimael Guzmán, é considerada um crime de apologia ao terrorismo. Esse crime é punível com penas de quatro a quinze anos de prisão. Qualquer propaganda, discurso ou justificativa favorável feita por qualquer meio de divulgação social também é uma apologia ao terrorismo”, diz uma publicação feita pela pasta no Twitter. O presidente do Peru, Pedro Castillo afirmou que “nossa posição contra o terrorismo é firme e indeclinável”.

O Sendero Luminoso foi criado na década de 1960, sob a influência da Revolução Cultural de Mao Tsé-Tung, líder comunista chinês. A Comissão de Verdade e Reconciliação (CVR) estima que o confronto entre a guerrilha formada por camponeses e estudantes e o governo causou a morte de aproximadamente 70 mil pessoas entre 1980 e 2000. Condenado à prisão perpétua.