Morte de Khashoggi foi ‘incidente odioso’ e não ficará impune, afirma príncipe saudita

  • Por Jovem Pan
  • 24/10/2018 18h18 - Atualizado em 24/10/2018 18h23
EFEPríncipe participou do principal fórum econômico saudita, que foi boicotado por personalidades

O príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammad bin Salman, afirmou nesta quarta-feira (24) que seu país e a Turquia estão tomando medidas para que os responsáveis pela morte do jornalista Jamal Khashoggi sejam levados à Justiça e o crime não fique impune.

Salman disse que não haverá nenhuma ruptura de relações entre os países por causa do crime, a que chamou de “incidente odioso”. Khashoggi era opositor do governo saudita e desapareceu no último dia 2, após entrar em um consulado na Turquia.

“Este incidente foi realmente doloroso para todos os sauditas. E é doloroso para cada ser humano no mundo, é um incidente odioso que não pode ser justificado”, declarou o príncipe em sessão do principal fórum de investimentos saudita, realizado em Riad.

Em discurso, Salman garantiu que vai “provar ao mundo que os dois governos [turco e saudita] estão cooperando para levar todos os autores aos tribunais e, ao final, se verá a justiça.” Esta foi a primeira manifestação pública do herdeiro após o crime.

A fala também acontece um dia após o rei da Arábia ter recebido o irmão de Khashoggi em palácio na capital do país. Por causa da morte, o fórum econômico acabou sendo boicotado por personalidades políticas e do mundo dos negócios.

*Com informações da Agência EFE