Myanmar sofre apagão em meio a protestos contra o golpe militar

A empresa fornecedora de energia elétrica negou que a interrupção tenha sido intencional, mas nos últimos dias o exército vem cortando o acesso à internet para tentar reprimir a população

  • Por Jovem Pan
  • 05/03/2021 10h49 - Atualizado em 05/03/2021 14h47
EFE/EPA/KAUNG ZAW HEINOs manifestantes construíram uma barreira em Mandalay para impedir a entrada das forças de segurança

Várias cidades do Myanmar sofreram um apagão elétrico que durou cerca de três horas nesta sexta-feira, 5. A empresa fornecedora de energia elétrica de Rangum, a maior cidade do país, negou que a interrupção tenha sido intencional e atribuiu a culpa a uma falha no sistema. Chama atenção, no entanto, que a falta de luz tenha acontecido em meio a mais um dia de protestos contra o golpe militar. Nas últimas semanas, o exército vem cortando o acesso à internet como uma forma de tentar impedir a mobilização da população. Além disso, os protestos têm sido reprimidos com cada vez com mais violência policial: na quarta-feira, 3, pelo menos 38 manifestantes morreram. Já nesta sexta-feira, 5, há até o momento a confirmação da morte de Zaw Myo, de 27 anos. O jovem teria sido baleado no pescoço enquanto agitava uma bandeira durante um protesto de engenheiros em Mandalay, segunda maior cidade do país.

*Com informações da EFE