Na Itália, uma pessoa morre a cada dois minutos vítima da Covid-19

Os especialistas indicam que, apesar do confinamento ter servido para diminuir o número de contágios, a alta mortalidade impede as autoridades de retiraram as medidas restritivas

  • Por Jovem Pan
  • 18/11/2020 15h05 - Atualizado em 18/11/2020 15h09
EFE/EPA/ANGELO CARCONILázio, onde fica Roma, é uma das poucas regiões italianas que não entrou em um novo confinamento

O Ministério da Saúde da Itália informou, nesta quarta-feira, 18, que o país tem registrado uma morte por Covid-19 a cada dois minutos. Os dados levantados pela entidade também indicam que a cada cem casos de infecção pelo novo coronavírus, quatro terminam com o óbito do paciente. Dessa forma, os recentes índices de mortalidade pela doença já alcançaram níveis semelhantes aos de abril, o auge da primeira onda na Europa. Como boa parte da Itália entrou em um novo confinamento, os especialistas indicam que houve uma ligeira melhora nos contágios, mas o número de pessoas hospitalizadas e falecidas impede as autoridades de baixarem a guarda. No dia 3 de dezembro o primeiro-ministro deve divulgar as regras de circulação para o período do Natal, que o governo insiste que deve ser “responsável”.

Nesta terça-feira, 17, foram registrados 32 mil novos casos de coronavírus, sendo que nos últimos dias a média era de mais de 40 mil. Porém, ao longo da segunda-feira 731 pessoas morreram de Covid-19, uma alta em relação à média de 550 das últimas semanas. Atualmente, Abruzzo, Campânia, Toscana, Calábria, Lombardia, Piemonte, Vale de Aosta e a província autônoma de Bolzano estão confinadas. Já a Úmbria, Basilicata, Ligúria, Puglia, Sicília, Emilia-Romagna, Friuli Venezia Giulia e Marche estão com restrições menos rígidas. O resto do país, incluindo a região do Lácio, onde fica a capital Roma, apresenta risco moderado, com toque de recolher às 22h, bares e restaurantes fechando às 18h e fechamento total de cinemas, museus, teatros e academias.

*Com informações da EFE

  • Tags: