Navio é liberado após passar seis dias encalhado no Canal de Suez

As autoridades do Egito afirmaram que o tráfego da rota deve ser normalizado nos próximos três dias; pelo menos 369 embarcações aguardam autorização para seguir viagem

  • Por Jovem Pan
  • 29/03/2021 11h34 - Atualizado em 29/03/2021 12h35
EFE/EPA/KHALED ELFIQIDesde o dia 23, o porta-contêineres estava bloqueando uma das vias navegáveis mais movimentadas do mundo

A Autoridade do Canal de Suez (SCA) anunciou que o navio Ever Given desencalhou nesta segunda-feira, 29, e que o tráfego da rota deve ser normalizado nos próximos três dias. O brigadeiro Osama Rabie, responsável pela operação, relatou que a popa da embarcação foi levada a mais de cem metros da margem graças às manobras de empurrar e rebocar. Na sequência, o porta-contêineres será encaminhado à aérea de espera de Bitter Lakes para uma inspeção técnica. Desde o dia 23, o navio de 400 metros de comprimento e 220 mil toneladas estava bloqueando uma das vias navegáveis mais movimentadas do mundo, que concentra 10% de todo o comércio marítimo internacional. O presidente do Egito, Abdel Fatah al Sisi, comemorou o desbloqueio do canal. “Hoje, os egípcios conseguiram pôr fim à crise, apesar da enorme complexidade técnica que cercou o processo”, escreveu na sua página oficial no Facebook.

O trabalho para liberar o Canal de Suez, que representa o trajeto mais rápido entre a Ásia e a Europa, foi intenso durante o final de semana, quando dragas, escavadeiras e rebocadores trabalharam na remoção da areia densa ao redor do porta-contêineres. No início da manhã de segunda-feira, 29, já havia sido anunciado que o Ever Given tinha voltado a flutuar. No momento, pelo menos 369 embarcações, incluindo petroleiros e navios de gás natural, estão aguardando para poderem seguir viagem pela rota. A Maersk, maior empresa de transporte de contêineres do mundo, aposta em um prazo maior para normalização do Canal de Suez. “Avaliando o acúmulo atual de navios, pode levar seis dias ou mais para que toda a fila passe”, disse a empresa em um comunicado. Os preços globais do petróleo bruto subiram mais de 6% no dia 24, logo depois que o tráfego pelo canal foi suspenso. A proprietária do cargueiro, a empresa japonesa Shoei Kisen Kaisha, pediu desculpas pela interrupção do comércio global.

Uma média de 50 navios passam todos os dias pelo Canal de Suez, que possui 193 quilômetros de comprimento e 24 metros de profundidade. Uma rota alternativa é contornar o Cabo da Boa Esperança no extremo sul do continente africano, viagem que pode acarretar em um atraso de mais duas semanas. A SCA afirma que o navio Ever Given, que viajava da Ásia com destino à Holanda, encalhou devido à uma rajada de vento de 74km/h, que teria feito com que o casco desviasse da hidrovia. Além disso, o vento estava supostamente carregado de areia, fenômeno comum nessa época do ano que pode ter prejudicado a visão da tripulação.