OTAN alerta para o risco de EUA retirarem suas tropas do Afeganistão

Secretário-geral teme que o país volte a ser uma base para os terroristas internacionais e que o Estado Islâmico crie um novo califado ali

  • Por Jovem Pan
  • 17/11/2020 15h56 - Atualizado em 17/11/2020 18h19
EFE/EPA/JALIL REZAYEEAs tropas afegãs continuarão recebendo treinamento da OTAN para manterem a segurança do país

Nesta terça-feira, 17, o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, afirmou que a retirada das tropas dos Estados Unidos do Afeganistão pode ser arriscada caso aconteça “cedo demais ou de maneira descontrolada”. A declaração foi feita depois que o governo do presidente Donald Trump adiantou que uma nova diminuição no número de militares norte-americanos no país estrangeiro será anunciada nesta semana. Stoltenberg argumentou que o Afeganistão “corre o risco de se tornar mais uma vez uma plataforma para os terroristas internacionais planejarem e organizarem ataques” e que o Estado Islâmico poderia reconstruir ali “o califado de terror que perdeu na Síria e no Iraque“.

Mesmo com a retirada do exército dos Estados Unidos, que deve ocorrer antes do dia 20 de janeiro, o Afeganistão ainda contará com a presença de alguns soldados da própria OTAN, que continuarão com a sua missão de treinar, aconselhar e auxiliar as forças de segurança afegãs. “Também estamos empenhados em financiá-las até 2024”, explicou o secretário-geral. Ele afirmou que a organização deseja garantir que o país asiático não seja nunca mais um “porto seguro para os terroristas internacionais”.

*Com informações da EFE