Papa Francisco pede que pais ofereçam apoio e não condenem filhos homossexuais

Pontífice deu declaração durante audiência geral com fiéis sobre desafios da paternidade

  • Por Jovem Pan
  • 26/01/2022 16h12
Alberto Pizzoli / AFP Homem branco idoso em vestes litúrgicas em frente a microfone, com vela ao lado Papa Francisco defende que famílias acolham membros homossexuais e não os discriminem

O Papa Francisco pediu nesta quarta, 26, que os pais que tiverem filhos homossexuais não os condenem, e sim ofereçam apoio. Durante audiência geral com fiéis da Igreja Católica no Vaticano, o sumo pontífice comentou sobre os desafios da paternidade e deu orientações aos pais que notarem que seus rebentos não são heterossexuais. “Pais que veem orientações sexuais diferentes nos filhos, lidem com isso e acompanhem os filhos, e não se escondam no comportamento de condenação. (…) A esses pais, eu digo que não se espantem (…), nunca devem condenar um filho”, afirmou o Papa. Em manifestações anteriores sobre o tema, Francisco já pediu que as famílias não excluam os membros homossexuais e defendeu que a união civil entre pessoas do mesmo sexo seja regulamentado para garantir direitos como acesso a saúde e compartilhamento de bens. Por outro lado, a Igreja publicou documento em 2021 no qual mantém a proibição de que casamentos entre pessoas do mesmo sexo sejam abençoadas por padres ou bispos.

Ainda nesta quarta, Francisco disse que está com uma inflamação no joelho, o que o impediu de caminhar para fazer a tradicional saudação aos fiéis. “Hoje não vou passar entre vocês para cumprimentá-los, porque estou com um problema na perna direita. Estou com um ligamento do joelho inflamado. É temporário. Parece que é algo que acontece com os idosos, então, não sei por que aconteceu comigo”, disse, bem-humorado. O Papa tem problemas no nervo ciático, o que lhe causa fortes dores, e passou por uma cirurgia no cólon em julho de 2021. O pontificado de Francisco completará nove anos em março. Também nesta quarta, o pontífice pediu orações pela paz na Ucrânia.