Para Luis Arce, Bolívia deve retomar relações com Cuba, Venezuela e Irã

Prestes a ser eleito presidente, Luis Arce, do Movimento ao Socialismo, já sinalizou que pretende restabelecer a conexão com esses países, perdidas durante o governo de Añez

  • Por Jovem Pan
  • 20/10/2020 17h20
REUTERS/Ueslei MarcelinoLuis Arce lidera as pesquisas de boca de urna e deve ser o próximo presidente da Bolívia

Em entrevista à agência de notícias EFE, Luis Arce disse nesta terça-feira (20) que, caso seja eleito presidente da Bolívia, uma de suas políticas externas será restabelecer as relações do país com Cuba, Venezuela e Irã. O candidato do partido Movimento ao Socialismo, cuja campanha foi coordenada por Evo Morales, já teve a vitória reconhecida pelo adversário Carlos Mesa e pela presidente interina Jeanine Añez depois da divulgação das pesquisas de boca de urna. Os resultados oficiais, porém, ainda não foram divulgados e só devem sair nos próximos dias.

No passado, a Bolívia possuía laços com os três países mencionados por Arce. Essas conexões se perderam após a renúncia de Morales, com a subida de Añez ao poder. A presidente interina inclusive não reconheceu Nicolás Maduro como presidente venezuelano. “Este governo agiu de forma muito ideológica, privando o povo boliviano do acesso à medicina cubana, à medicina russa, aos avanços da China. Devido a uma questão puramente ideológica, a população tem sido exposta de uma forma desnecessária e prejudicial”, criticou Arce. O candidato de esquerda expressou seu desejo de “abrir a porta para todos os países”, desde que haja respeito mútuo.

*Com informações da EFE