Pelo menos 4 mil pessoas são presas na Rússia em protestos pela soltura do opositor de Putin

Polícia bloqueou ruas e estações de Moscou e prendeu jornalistas e manifestantes durante protesto contra prisão de Alexey Navalny, detido em 17 de janeiro

  • Por Jovem Pan
  • 31/01/2021 11h09 - Atualizado em 31/01/2021 14h23
EFE/EPA/YURI KOCHETKOVPelo menos 2 mil pessoas foram presas no país

Pelo menos 4,5 mil pessoas foram presas na Rússia durante protestos pedindo a soltura de Alexey Navalny, opositor de Vladimir Putin detido no dia 17 de janeiro. Navalny foi preso assim que chegou em Moscou de um longo tratamento ao qual foi submetido na Alemanha por ter sido envenenado no mês de agosto. Ele deve passar por uma audiência no dia 2 de fevereiro, mas, por meio de uma equipe de assessoria, usou as redes sociais para convocar manifestações em diversos pontos do país. Só na capital Moscou, pelo menos 1400 pessoas foram presas, entre elas, a esposa de Navalny, Yulia.

Os dados dos detidos são atualizados em tempo real pelo monitor OVD-Info. Para evitar os protestos, policiais bloquearam boa parte do centro da capital, assim como estações de ônibus e metrô. Nas redes sociais, é possível ver vídeos de oficiais carregando pessoas e as revistando nas ruas. Também pelas redes, o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, afirmou que o país condena o uso de repressão contra manifestantes e jornalistas pacíficos. “Nós reforçamos nosso pedido de que a Rússia solte os detidos por exercer os próprios direitos humanos, incluindo Aleksey Navalny”, disse.