Peru observa queda de 26% no contágio pelo coronavírus em uma semana

Ministro da Saúde apontou que há uma tendência de redução de casos e mortes durante a segunda onda da Covid-19, mas sem ‘baixar a guarda’

  • Por Jovem Pan
  • 20/05/2021 01h10
EFE/Jorge Esquivel/ArchivoPeru tem queda de infecções por Covid-19

O número de novas infecções pelo coronavírus vem diminuindo no Peru nas últimas semanas, e nos últimos sete dias o declínio foi de 26%, acompanhado por uma queda no número de mortes por Covid-19, segundo informações divulgadas nesta quarta-feira, 19, pelo governo. “Há uma tendência de redução significativa desta segunda onda, o que não nos leva a baixar a guarda, mas sim a sermos prevenidos de uma nova retomada”, declarou o ministro da Saúde, Oscar Ugarte, em entrevista coletiva. Após uma sessão do Conselho de Ministros, Ugarte detalhou a situação da pandemia no país, em coletiva na qual teve a companhia da chefe de gabinete, Violeta Bermúdez, e do ministro da Educação, Ricardo Cuenca. “Na última semana, houve uma redução de 26% em novos casos, uma redução sustentada nas últimas quatro semanas”, destacou Ugarte, com base em dados fornecidos pelo Centro de Informação Epidemiológica da pasta.

O chefe de Saúde acrescentou que a redução das mortes é paralela às novas infecções, mas ressaltou que na última semana houve uma pequena recuperação em algumas regiões como Arequipa, devido a problemas particulares na região. “O que estamos fazendo é fortalecer os aspectos mais importantes para completar esta segunda onda e ser impedidos de uma terceira”, afirmou Ugarte. Até esta terça-feira, o número de infecções pelo coronavírus era de 1.897.900, com 2.455 confirmadas nas últimas horas, enquanto o total de mortes por Covid-19 era de 66.770, com óbitos 299 confirmados ontem. Por sua vez, Bermúdez exaltou que o Peru é o país da América Latina com mais contratos para a compra de vacinas, para mais de 61 milhões de doses, além de outras em negociação. Com isso, será possível imunizar toda a população adulta até o fim deste ano. Até hoje, o Peru já recebeu mais de 2,7 milhões de doses, com mais de 1,9 milhão de pessoas tendo recebido sua primeira dose e mais de 828 mil a segunda dose.

Ugarte salientou que nesta semana chegará ao país o maior lote semanal recebido até agora, com quase 800 mil doses, o que permite avançar mais rapidamente na campanha de imunização e expandir para outros grupos com comorbidades. A partir da próxima sexta-feira, a vacinação começará para pessoas acima de 65 anos e para pacientes com doenças mentais graves, enfermidades raras e aqueles que receberam transplantes de órgãos. O ministro fez uma estimativa que em oito ou dez dias pessoas com entre 60 e 65 anos também serão inoculadas. Além disso, o chefe da pasta de Saúde explicou que no fim de semana do segundo turno presidencial, em 6 de junho, a vacinação não será agendada porque alguns centros de imunização também são postos de votação.

O governo também aprovou medidas de emergência para financiar, com uma alocação de 211 milhões de sóis (R$ 299 milhões), a compra de 886 leitos de oxigênio de alto fluxo para pacientes com um grau moderado da doença. Enquanto isso, o ministro da Educação, Ricardo Cuenca, relatou que pelo menos 14 escolas nas áreas rurais da região de Arequipa, no sul do país, começaram as aulas sem relatar casos de Covid-19, e que cinco outras regiões estão sendo avaliadas para ter alunos nas salas ainda em junho.

*Com informações da EFE