Pfizer diminui quantidade de vacinas que pretende fabricar em 2020

A expectativa é de que sejam produzidas 50 milhões de doses do imunizante; inicialmente, a empresa estimava produção de 100 milhões de unidades

  • Por Jovem Pan
  • 03/12/2020 21h59
ADRIANA TOFFETTI/A7 PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 17/10/2020 Farmacêutica também garantiu que a previsão de produção de 1 bilhão de doses até 2021 está mantida.

A farmacêutica Pfizer reduziu pela metade a quantidade de doses de vacina contra a Covid-19 que espera produzir em 2020. O anúncio foi feito nesta quinta-feira, 3. A empresa alegou que não irá conseguir fabricar e distribuir a quantidade inicial por problemas na rede de fornecimento. Inicialmente, a expectativa era de que fossem produzidas 100 milhões de doses. Agora, a Pfizer se compromete em produzir apenas 50 milhões. Entretanto, a previsão de produção de 1 bilhão de doses até 2021 está mantida. “Estamos atrasados. Alguns dos primeiros lotes de matérias-primas não cumpriram as normas. Já resolvemos isso, mas ficamos sem tempo para cumprir as projeções”, afirmou um funcionário da Pfizer ao “The Wall Street Journal”.

A produção das vacinas depende de insumos provenientes da Europa e dos Estados Unidos. Os imunizantes precisam de uma série de ingredientes, como agentes antivirais, antissépticos, água esterilizada e fragmentos de RNA do novo coronavirus (Sars-Cov-2). Os testes da vacina foram feitos em 44.000 pessoas ao redor do mundo e mostraram uma eficácia de 95%. Um porta-voz da Pfizer relembrou que a velocidade de desenvolvimento do imunizante é sem precedentes. Em 10 meses, a empresa testou a resposta à vacina enquanto iniciou uma larga operação para fabricar e distribuir a vacina pelo mundo inteiro.

*Com informações da EFE