Polícia dos EUA prende homem que ameaçava explodir bombas ao lado do Capitólio

Norte-americano fez transmissões ao vivo nas redes sociais afirmando que causaria danos a quarteirões da capital do país; polícia continua a buscar evidências de explosivos

  • Por Jovem Pan
  • 19/08/2021 15h56 - Atualizado em 19/08/2021 17h12
EFE/EPA/SHAWN THEWPrédios foram evacuados em Washington D.C. após ameaça de bomba

A Polícia do Capitólio dos Estados Unidos prendeu um homem que ameaçava explodir uma bomba ao lado da biblioteca do Congresso Nacional, em Washington D.C., após pouco mais de quatro horas de negociações. O suspeito, que seria um cidadão norte-americano identificado como Ray Roseberry, estacionou uma caminhonete preta dirigida ao lado do prédio público por volta das 9h15 (10h15 no horário de Brasília) e foi rapidamente notado pelos policiais de plantão. “O motorista da caminhonete disse ao policial que se aproximou dele que ele tinha uma bomba, e o oficial notou algo que parecia ser um detonador na mão do homem. Imediatamente, nós esvaziamos os prédios ao redor do local”, afirmou o chefe de polícia do Capitólio, Thomas Manger, em entrevista coletiva. Os congressistas estão de férias, mas outros funcionários que trabalham nos prédios oficiais foram retirados do local. 

Além da polícia do Capitólio, o FBI, a polícia de Washington D.C. e os bombeiros foram chamados para negociações. O homem fazia transmissões ao vivo pelas redes sociais, criticando o atual governo de Joe Biden e afirmando que é um “verdadeiro patriota”. Ele disse, ainda, que se qualquer pessoa disparasse um tiro contra o carro dele, quatro bombas plantadas na cidade destruiriam dois quarteirões inteiros da capital. Por volta das 14h45 no horário local (15h45 no horário de Brasília), o chefe de polícia afirmou que o homem se rendeu e foi preso, mas uma busca por bombas ainda seria feita no veículo e em outros pontos da cidade.

“Nós sabemos que o Sr. Roseberry perdeu algumas pessoas da família dele, acreditamos que a mãe dele tenha morrido recentemente. Falamos com membros da família dele e soubemos que ele estava lidando com outros problemas”, afirmou. O oficial disse que, até o momento, não há qualquer evidência de que ele tenha servido ao Exército ou que recebeu apoio de qualquer outra pessoa para fazer a ameaça. A polícia não esclareceu a quais crimes o homem vai responder nem deu maiores informações sobre para onde ele foi levado após ser preso. Até o momento, apenas containers com gás propano foram encontrados no porta-malas da caminhonete.