Presidente das Filipinas anuncia que irá se aposentar da política após eleição que definirá sucessor

Frequentemente comparado a Bolsonaro, Rodrigo Duterte apoiará filha no pleito deste ano no país asiático

  • Por Jovem Pan
  • 02/10/2021 16h49 - Atualizado em 02/10/2021 17h43
EFERodrigo Duterte é um dos presidentes mais polêmicos do mundo

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, anunciou neste sábado, 2, que irá se aposentar da carreira política e não concorrerá a nenhum cargo na eleição de 2022, que definirá seu sucessor. Como não poderia se candidatar a um novo mandato de presidente, Duterte havia dito anteriormente que pretendia disputar a vaga de vice, que é eleito de forma separada nas Filipinas. “Portanto, em obediência à vontade das pessoas que afinal me colocaram na presidência há muitos anos, agora digo aos meus conterrâneos: vou seguir o que vocês quiserem e hoje anuncio minha aposentadoria da política”, declarou Duterte em discurso, citando pesquisa que apontou que a maioria dos filipinos consideravam que sua candidatura a vice seria inconstitucional.

Um motivo para desconfiança sobre o discurso é que Duterte já havia feito afirmação parecida antes da eleição presidencial de 2016, a qual ele venceu e lhe deu o mandato de seis anos no qual está atualmente. A vaga de vice na “chapa” do partido Duterte, o PDP-Laban, deve ser ocupada pelo senador e ex-assessor do presidente Christopher Lawrence “Bong” Go, que já havia sido cogitado se lançar até como candidato a presidente, mas não aceitou a indicação. A cabeça da chapa deve ser de Sara Duterte-Capio, filha do atual mandatário e prefeita da cidade de Davao, que alternava com o pai as candidaturas a prefeito e deputado em sua cidade-natal. Outro candidato nas eleições presidenciais filipinas será a lenda do boxe Manny Pacquiao.

Duterte-Carpio disse anteriormente que havia concordado que apenas um deles concorreria a uma posição nacional. Mas antes que a tarde deste sábado terminasse, ela apresentou sua candidatura para outro mandato como prefeita de Davao — colocando em dúvida as previsões. O período de candidatura para as eleições do próximo ano começou nesta sexta-feira, 1º, e vai até 8 de outubro. Os candidatos podem ser substituídos por suplentes até meados de novembro — deixando a possibilidade de Duterte-Carpio se apresentar. Ela liderava nas últimas pesquisas eleitorais, em uma mostra da popularidade do pai. Duterte é o principal nome de uma ‘guerra às drogas’ nas Filipinas, que o levou a ser investigado pelo Tribunal Penal Internacional por possíveis violações de direitos humanos durante a campanha para ‘matar viciados’, como ele mesmo diz.