Primeiro-ministro do Haiti pode ter encomendado morte de presidente, diz jornal

FBI, que investiga assassinato de Jovenel Moise, não descarta possibilidade de que Claude Joseph tenha tramado crime para assumir poder no país

  • Por Jovem Pan
  • 15/07/2021 15h48 - Atualizado em 15/07/2021 16h54
EFE/ Jean Marc Hervé AbélardFBI investiga se primeiro-ministro do Haiti teve ligação com assassinato do presidente do país

O primeiro-ministro interino do Haiti, Claude Joseph, é investigado pelo FBI como possível mandante do assassinato do presidente Jovenel Moise, morto a tiros dentro de casa no último dia 7. A informação foi dada em primeira mão pelo jornal colombiano El Tiempo, que teria conectado uma fonte do FBI e conseguido acesso a documentos preliminares da investigação que considera a hipótese do envolvimento de Joseph. “Há uma investigação em curso que ainda não foi terminada, mas esta é uma indagação. Como disse, um plano desse só pode ser concretizado por funcionários do alto governo”, diz trecho de reportagem publicada nesta quinta-feira, 15. Até o momento, 18 colombianos e três moradores dos Estados Unidos com nacionalidade haitiana foram presos por suposto envolvimento com o crime.

Após interrogatórios, a polícia procura por outros cinco suspeitos de cometer o crime. Entre eles, estão o ex-senador Joel Joseph, opositor do partido de Moise; um informante do governo norte-americano e um ex-agente do governo do Haiti. O país enfrentou manifestações clamando por acesso a itens de consumo básico no país nesta quarta-feira, 14, e há pelo menos uma semana pediu à comunidade internacional o envio de tropas para evitar golpe ou revoltas populares. Até o momento, a Organização das Nações Unidas (ONU) e os Estados Unidos não deram uma resposta ao pedido. Uma equipe governamental foi designada para organizar um funeral para Moise e a primeira-dama do país continua internada em um hospital de Miami se tratando dos ferimentos causados por disparos de arma de fogo.