Rússia acusa EUA de ‘estratégia de estrangulamento’ e pede fim de bloqueio a Cuba

País emitiu comunicado em apoio ao país e criticando Estados Unidos por intromissões em ‘assuntos de um Estado soberano’

  • Por Jovem Pan
  • 15/07/2021 11h21 - Atualizado em 15/07/2021 17h07
EFE/ Sáshenka Gutiérrez Pelo menos uma pessoa morreu durante protestos em Cuba

Um comunicado divulgado pela diplomacia da Rússia nesta quinta-feira, 15, pediu que os Estados Unidos suspendam o bloqueio econômico imposto a Cuba como uma forma de ajudar a arrefecer os protestos contra o governo na região. “Se Washington está realmente preocupado com a situação humanitária em Cuba e quer ajudar os cubanos simples, deve começar revogando o bloqueio, que foi rejeitado desde o início por toda a comunidade internacional”, diz trecho do documento. A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores russo, Maria Zakharova, afirmou que Washington tem políticas ambíguas, age com hipocrisia em relação ao país da América Central e não deveria se intrometer nos assuntos de um Estado soberano com uma “estratégia de estrangulamento do país”.

O posicionamento russo ocorre dias após Cuba registrar os maiores protestos antigovernamentais em 27 anos de história. No último domingo, 11, milhares de pessoas foram às ruas com pedidos de “liberdade” e uma série de reivindicações. As manifestações foram reprimidas e terminaram com pelo menos uma pessoa morta, uma repórter presa e dois jornalistas agredidos. Em comunicado à nação um dia após os protestos, o presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, negou o emprego de violência para reprimir os manifestantes. Organizações Não Governamentais (ONGs) estimam que pelo menos 140 pessoas tenham sido presas por causa dos protestos no país.