Reino Unido pode aprovar vacina da Pfizer e iniciar vacinação já em 7 de dezembro

Dados divulgados nas últimas semanas indicaram que o imunizante tem 95% de eficácia contra a Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 29/11/2020 15h03 - Atualizado em 29/11/2020 15h24
ADRIANA TOFFETTI/A7 PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 17/10/2020 Inicialmente, a vacina seria autorizada pela European Medicines Agency até o dia 31 de dezembro, antes da transição do Brexit

O Reino Unido deve ser o primeiro país ocidental a aprovar um imunizante contra a Covid-19 e iniciar a vacinação ainda em 2020, segundo o jornal britânico Financial Times. As informações são de que o órgão regulador independente pode conceder a aprovação já nos próximos dias. De acordo com funcionários do governo britânico, as doses da vacina da Pfizer, em parceira com a BioNTech, a entrega das doses começariam pouco após a autorização oficial. O Reino Unido encomendou 40 milhões de doses, considerando que cada pessoa deve precisar de duas. Dados preliminares, que envolveram 43 mil voluntários e foram divulgados nas últimas semanas, indicaram que o imunizante tem 95% de eficácia na prevenção do coronavírus.

Inicialmente, a vacina seria autorizada pela European Medicines Agency até o dia 31 de dezembro, antes da transição do Brexit. Porém, a UK’s Medicines and Healthcare Products Regulatory Agency pode autorizar a aplicação em caso de necessidade pública urgente. A vacina de Oxford, com a AstraZeneca, também poderia passar pelo mesmo processo – mas, na sexta-feira, 27, o governo pediu ao órgão regulador que os dados fossem analisados novamente. Antes do Reino Unido, apenas a Rússia aprovou um imunizante contra a Covid-19, a Sputnik V – mas ainda existem dúvidas sobre a transparências dos estudos e resultados dela. Nos EUA, uma aprovação emergencial pode acontecer entre os dias 8 e 10 de dezembro. Tanto a Pfizer/BioNTech quanto a Oxford/AstraZeneca forneceram os dados para o EMA ao mesmo tempo e também para autoridades do Reino Unido, Canadá, Japão e Austrália.