Síria promete ‘consequências’ para os Estados Unidos após bombardeio

O país do Oriente Médio condenou o ataque realizado dentro do seu território e pediu que o governo norte-americano mude a sua ‘estratégia agressiva’

  • Por Jovem Pan
  • 26/02/2021 16h50 - Atualizado em 26/02/2021 17h44
O presidente da Síria, Bashar al-Assad, é aliado do presidente russo Vladmir Putin, que também já havia condenado o ataque

A Síria condenou o ataque realizado pelos Estados Unidos em seu território nesta sexta-feira, 26, e prometeu que ele trará “consequências”. O Ministério das Relações Exteriores do país do Oriente Médio pediu ainda que o governo norte-americano mude a “estratégia agressiva”, parando de violar a sua soberania e de apoiar os “terroristas armados” que também atacam a Síria, fazendo uma possível referência a Israel. Mais cedo, o bombardeio também havia sido indiretamente criticado pelo presidente da Rússia, Vladmir Putin, principal aliado do presidente sírio Bashar Al-Assad. O ataque dos Estados Unidos, que deixou 22 mortos, aconteceu dentro do território da Síria, mas visava milícias armadas que atuam a favor do Irã e um carregamento de armas vindo do Iraque.