Talibã adotará Constituição do tempo da monarquia no Afeganistão até escrever novo texto

Porta-voz dos insurgentes afirmou que novo governo terá direito de não aplicar qualquer lei com a qual discorde nos próximos meses

  • Por Jovem Pan
  • 28/09/2021 13h20
EFE / EPA / STRINGERMesmo com aplicação de leis da monarquia, direito das mulheres ao voto deve continuar vetado

O governo Talibã anunciou nesta terça-feira, 28, que vai retomar as regras da Constituição seguida pelo Afeganistão entre os anos de 1964 e 1973 enquanto o país não formalizar um novo conjunto de leis para serem seguidos no país. “O Emirado Islãmico do Afeganistão adotará a Constituição do antigo Rei Mohammad Zahir Shah temporariamente”, afirmou um dos fundadores do grupo fundamentalista, Abdul Hakim Haqqani, em conversa com a imprensa internacional. Ele frisou, porém, que os insurgentes poderão eliminar qualquer elemento constitucional com o qual eles não concordem por se opor à “sharia”, conjunto de normas firmadas pelo Corão que costumam ser seguidas de forma extrema e radical pelo grupo que agora governa o país da Ásia Central. Com a opção de “cancelar” qualquer termo da antiga Constituição, os insurgentes devem abolir do texto de 1964 o direito das mulheres ao voto, um dos marcos mais importantes da época, que permitiu que pessoas do sexo feminino participassem da política local. Não há até o momento qualquer prazo para que um novo texto seja firmado pelos fundamentalistas.