Texto final da COP 25 propõe metas mais ambiciosas para emissões de gases estufa

  • Por Jovem Pan
  • 15/12/2019 11h14 - Atualizado em 15/12/2019 11h22
EFE/Juan Carlos HidalgoQuase dois dias após a data marcada para encerrar a 25ª Conferência das Partes (COP25), os países chegaram a uma decisão

A Cúpula do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU) terminou neste domingo (15) o acordo para as ambições climáticas de 2020 e o documento sobre o cumprimento do Acordo de Paris, que limita a emissão de gases estufas a partir de 2020, a fim de conter o aquecimento global abaixo de 2ºC.

Quase dois dias após a data marcada para encerrar a 25ª Conferência das Partes (COP25), os países chegaram a uma decisão. O acordo, intitulado “Chile-Madrid, hora de agir”, foi aprovado pela presidente da COP25, a chilena Carolina Schmidt, após um tenso debate com o Brasil que, inicialmente, não aceitou dois parágrafos incluídos sobre oceanos e uso da terra.

O documento final da COP25 estabelece que os países terão de apresentar em 2020 compromissos mais ambiciosos para reduzir as emissões (as chamadas Contribuições Nacionais Determinadas) para enfrentar o aquecimento global.

Segundo o acordo, o conhecimento científico será “o eixo principal” que deve orientar as decisões climáticas dos países para aumentar a sua ambição, que deve ser constantemente atualizada conforme os avanços da ciência. O texto inclui “a imposição” de que a transição para um mundo sem emissões tem de ser justa e promover a criação de emprego.

O texto também reconhece a ação climática de atores não-governamentais, a quem convida a aumentar e generalizar estratégias para o clima.

As delegações dos 200 países não conseguiram chegar nesta sexta-feira (13) em uma decisão sobre como impulsionar as metas do Acordo de Paris. As organizações ambientalistas acusaram a presidente chilena de estar cedendo aos interesses de nações poluidoras, como os Estados Unidos e o Brasil.

* Com informações da Agência Brasil