União Europeia exige que AstraZeneca entregue vacinas fabricadas no Reino Unido

Requisição foi feita durante a primeira audiência do processo que o bloco econômico abriu contra a farmacêutica; justificativa é que empresa não usou certas fábricas para abastecer os países-membro

  • Por Jovem Pan
  • 28/04/2021 14h17 - Atualizado em 28/04/2021 15h50
EFE/ Javier AlbisuNa sessão de 35 minutos, os advogados apresentaram seus argumentos a um tribunal de primeira instância em Bruxelas

A União Europeia exigiu nesta quarta-feira, 28, que a AstraZeneca entregue ao bloco econômico as vacinas contra Covid-19 que foram fabricadas no Reino Unido. A requisição foi feita durante a primeira audiência do processo que a Comissão Europeia abriu contra a farmacêutica, que está sendo acusada de não cumprir suas obrigações contratuais ao atrasar nas entregas dos imunizantes desenvolvidos em parceria com a Universidade de Oxford. Na sessão de 35 minutos, os advogados apresentaram ao tribunal seus argumentos de abertura. Rafael Jafferali, representante do bloco econômico, alegou que a empresa não honrou o seu compromisso ao não usar certas fábricas para abastecer a União Europeia, que não deseja uma compensação econômica, mas a entrega do que foi combinado.

Hakim Boularbah, responsável pela defesa da AstraZeneca, negou que o contrato estipule tais termos e também apontou que os países-membro mal recorreram à vacina de Oxford até agora devido aos casos raros de coágulos sanguíneos relacionados ao imunizante. O advogado também apontou que, apesar dos atrasos nas entregas, a Comissão Europeia prevê que 70% dos adultos europeus sejam inoculados até julho, dois meses antes da meta inicial. A União Europeia esperava receber 30 milhões de doses da vacina até dezembro, 100 milhões até o final de março e 300 milhões até junho. No entanto, ela só recebeu 29,8 milhões ao longo dos três primeiros meses de 2021 e a AstraZeneca prevê a conclusão da entrega dos próximos 100 milhões apenas no final de junho.