Uruguai: Em posse, Lacalle Pou discursa sobre política, economia e segurança

  • Por Jovem Pan
  • 01/03/2020 16h26 - Atualizado em 02/03/2020 09h26
EFE/David Puig"Estamos aqui para continuar o que foi feito certo, corrigir o que foi feito errado e fazer o que não era conhecido ou não queria ser feito nos últimos anos", disse Pou

Mudanças políticas, melhoras na educação e na economia e maior controle para combater a insegurança foram o foco do discurso do novo presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, que tomou posse neste domingo (1º), no Palácio Legislativo.

O político do Partido Nacional (PN, centro-direita) não se afastou muito das linhas traçadas durante a campanha eleitoral e as aparições públicas depois de vencido as eleições de novembro sobre o candidato da Frente Ampla (FA, esquerda), Daniel Martínez.

“Desta vez, os cidadãos nos deram uma mensagem clara e vigorosa. Eles disseram que uma mudança é necessária, mas uma mudança acompanhada por acordos. Está na hora, então, de cumprir a vontade popular. O tempo dos discursos acabou”, disse Lacalle Pou, que governará até 2025 em coalizão com o apoio de mais quatro partidos.

O novo presidente disse que “se o povo escolheu a mudança, é para agir”, mas esclareceu que não pretende “fazer uma varredura” na transferência da faixa presidencial.

“Nós nos recusamos a deixar que esta fase seja sobre mudar de uma metade da sociedade para a outra. Os uruguaios nos pedem união, e é por isso que estamos aqui, para continuar o que foi feito certo, corrigir o que foi feito errado e fazer o que não era conhecido ou não queria ser feito nos últimos anos”, argumentou.

Lacalle Pou ressaltou que “é a primeira vez na história” que uma coalizão de tantos partidos governa o país e que, “como tudo o que é novo, gera incertezas e faz o seu prório caminho”.

A iminência de uma reforma da Previdência para transformá-la em um “sistema sustentável” foi um dos pontos económicos mais fortes do discurso, no qual se comprometeu a recorrer “a todos os partidos políticos, sociedade civil e técnicos”.

O mandatário também se referiu ao desemprego, aos altos custos de produção e ao déficit fiscal do Uruguai, que, segundo ele, “é o mais alto dos últimos 30 anos”.

O único aspecto da política internacional ao qual se referiu era relacionado à economia. Lacalle Pou falou sobre a necessidade de implementar o acordo entre a União Europeia (UE) e o Mercosul, assinado em junho do ano passado, independentemente das “questões ideológicas” entre os países-membros.

Lacalle Pou insistiu novamente na ideia de “tornar o mercado regional mais flexível”, para que cada parceiro possa buscar acordos com terceiros.

A insegurança, um dos principais problemas mencionados pelos uruguaios durante a última campanha eleitoral, foi outro dos assuntos tratados enfaticamente pelo novo presidente. Lacalle Pou disse estar empenhado em frear o “crime e o narcotráfico”.

“Nós não estamos dispostos a ceder ao crime e ao tráfico de drogas. Vamos recuperar o controle de cada canto do nosso país, incluindo as prisões”, frisou.

O novo presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, e a vice-presidente, Beatriz Argimón, tomaram posse neste domingo depois de prestarem juramento perante o ex-presidente José Mujica, eleito senador.

*Com Agência EFE