Vietnã tem novo surto da Covid-19; primeira morte é registrada

Os novos registros acontecem após os vietnamitas começarem os preparativos para celebrar o 100º dia sem infecções comunitárias pelo coronavírus

  • Por Jovem Pan
  • 31/07/2020 10h11 - Atualizado em 31/07/2020 10h14
EFE/EPA/ALAA BADARNEHAs autoridades restabeleceram o uso da máscara, bloquearam e desinfetaram ruas, fecharam bares e outros locais de entretenimento

O Vietnã registra um novo surto da Covid-19. Com dezenas de infecções locais e a primeira morte pela doença confirmada nesta sexta-feira, 31, o país  vive a pior onda de contaminações. Segundo informações do Comitê especial para a gestão do vírus, a primeira vítima da Covid-19 no Vietnã é um homem de 70 anos, morador da cidade turística de Hoi An, perto de Danang, epicentro do novo surto. Sofrendo com insuficiência renal grave, problemas cardíacos e pneumonia, ele foi transferido para uma clínica de Hue, após estar internado desde o último dia 9 em um hospital de Danang. Os novos registros e o primeiro óbito acontecem uma semana após os vietnamitas começarem os preparativos para celebrar o 100º dia sem infecção comunitária pelo coronavírus. Desde então, o país registrou um total de 93 infecções comunitárias, com Danang sendo o principal foco do país. Somente nesta sexta-feira, 45 positivos foram registrados na cidade, e o Ministério da Saúde foi forçado a redobrar esforços e enviar uma equipe especial de médicos especialistas e mil profissionais da saúde para o local.

Isolada do resto do país, Danang vive rigoroso confinamento desde o início da pandemia, com ruas vazias e centenas de empresas fechadas, enquanto nas duas grandes cidades do país, Hanói e Ho Chi Minh, as primeiras medidas estão sendo tomadas para prevenir surtos. As autoridades restabeleceram o uso da máscara, bloquearam e desinfetaram ruas, fecharam bares e outros locais de entretenimento e publicaram uma lista de locais onde os infectados estavam antes serem internados em hospitais. Para especialistas, o retorno do vírus é o resultado de um relaxamento excessivo entre a população em geral, que adotou plena normalidade com centros turísticos lotados, e também entre autoridades e profissionais de saúde, confiantes de que o vírus havia sido banido do país para sempre.

*Com informações da EFE