Após reunião, PDT anuncia apoio a Guilherme Boulos em São Paulo

‘Vamos apoiar Boulos porque do outro lado está o sistema Doria, a perna da direita mais antiga do Brasil’, diz o presidente nacional do partido, Carlos Lupi, em vídeo

  • Por Guilherme Strabelli e André Siqueira
  • 18/11/2020 16h35 - Atualizado em 18/11/2020 17h48
Reprodução/ InstagramGuilherme Boulos

O Partido Democrático Trabalhista (PDT) irá apoiar a candidatura de Guilherme Boulos (PSOL) no segundo turno das eleições para a prefeitura da cidade de São Paulo. O anúncio foi feito pelo presidente do diretório municipal do partido, Antonio Neto, que foi candidato a vice na chapa de Márcio França (PSB), em uma publicação em seu perfil no Twitter ao lado do presidente nacional do PSOL, Juliano Medeiros. “Reunião extremamente proveitosa junto ao Juliano, onde pudemos acordar sob o apoio à candidatura de Guilherme Boulos no segundo turno. O PDT e o trabalhismo jamais iriam se esquivar da batalha em um momento como esse do país”, diz o post. Minutos depois, o presidente nacional do partido, Carlos Lupi, divulgou um com o posicionamento da sigla na capital paulista e em outras duas capitais: Rio de Janeiro e Porto Alegre.

Lupi diz que a sigla irá apoiar Boulos “porque do outro lado está o sistema Doria, a perna da direita mais antiga do Brasil, que foi para o poder com maquiagem e fez uma das maiores entregas que essa nação já sofreu”. No Rio de Janeiro, a legenda fundada por Leonel Brizola optou pela neutralidade. “Nem a candidatura de Eduardo Paes, nem a candidatura de Marcelo Crivella, representam as nossas ideias e pensamentos. Nesse primeiro turno, fomos alvos de ataques vis, pequenos e muito fortes da campanha de Paes. E com Crivella não há como ter um campo de diálogo porque ele representa as forças mais retrógradas. Representa, no Rio de Janeiro, Bolsonaro, e não há diálogo com essas forças reacionárias”, explica. Por fim, no Rio Grande do Sul, o PDT apoiará Manuela D’Ávila (PCdoB), que disputará o segundo turno com Sebastião Melo (MDB). Lupi ressaltou que todas as decisões da Executiva Nacional são tomadas em conjunto com Ciro Gomes, candidato do partido à Presidência da República em 2018.

Até o momento, Márcio França e o PSB não se posicionaram sobre o posicionamento do partido no segundo turno da eleição paulista. Procurado pela reportagem, a assessoria do partido afirmou que a decisão oficial ocorrerá nesta quinta-feira, 19. Guilherme Boulos e Bruno Covas (PSDB) disputarão o segundo turno no dia 29 de novembro. De acordo com o levantamento feito pelo instituto Paraná Pesquisas, divulgado nesta terça-feira, 17, o tucano, que tenta a reeleição, tem 61,5% dos votos válidos, contra 38,5% do candidato do PSOL – também nesta terça, o Republicanos, partido do deputado federal Celso Russomanno, derrotado no primeiro turno, anunciou apoio a Covas. Em nota, a Executiva Municipal afirmou que o “equilíbrio” e a “moderação” são fundamentais para a cidade, acrescentando que o candidato do PSDB é “o mais preparado” para administrar a cidade.