Bolsonaro diz que Eduardo Leite ‘está se achando o máximo’ após se declarar homossexual

Governador do Rio Grande do Sul assumiu ser gay em entrevista nesta quinta-feira, 1º; presidente também afirmou que ato foi ‘cartão de visita’ para candidatura

  • Por Jovem Pan
  • 02/07/2021 15h41 - Atualizado em 02/07/2021 17h24
MATEUS BONOMI/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO AGF20210601093 - 01/06/2021 - 18:20Bolsonaro deu declaração em conversa com apoiadores

Em conversa com apoiadores na manhã desta sexta-feira, 2, o presidente Jair Bolsonaro comentou as declarações dadas pelo governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), ao assumir a própria homossexualidade em entrevista ao jornalista Pedro Bial na noite da quinta-feira, 1º. Sem citar nomes, Bolsonaro disse que “o cara ontem está achando que é o máximo” e insinuou que as falas de Leite fazem parte de um jogo político focado em 2022. “Se achando o máximo, né? Olha, bateu no peito: ‘assumi’. É o cartão de visita para a candidatura dele. Ninguém tem nada contra a vida particular de ninguém, agora, querer impor o seu costume, seu comportamento para os outros? Não…”, disse Bolsonaro entre risos de apoiadores. Eduardo Leite é o governador mais jovem do Brasil, com 36 anos, e confirmou que quer disputar as prévias do partido tucano para a presidência de 2022.

“Eu nunca falei sobre um assunto que eu quero trazer pra ti no programa, que tem a ver com a minha vida privada e que não era um assunto até aqui porque se deveria debater mais o que a gente pode fazer na política, e não exatamente o que a gente é ou deixa de ser”, explicou Eduardo Leite ao falar com Pedro Bial. Nas palavras do governador, “nesse Brasil com pouca integridade a gente precisa debater o que se é. Eu sou gay. E sou um governador gay, e não um gay governador, tanto quanto Obama nos Estados Unidos não foi um negro presidente, foi um presidente negro. E tenho orgulho disso”, disse. Bacharel em Direito, Eduardo Leite concedeu a entrevista durante sua passagem por São Paulo para as prévias do PSDB. Casos de políticos assumidamente homossexuais são raros no Brasil. Em 2012, Edgar de Souza foi o primeiro prefeito assumidamente gay eleito no país.