Cirurgião gástrico viaja a Brasília para avaliar estado de saúde de Bolsonaro

Médico conduziu a recuperação do presidente em função da facada que levou durante a campanha eleitoral; o chefe do Executivo foi internado nesta manhã após dores abdominais

  • Por Jovem Pan
  • 14/07/2021 15h13 - Atualizado em 14/07/2021 16h34
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO O presidente da república, Jair Bolsonaro, durante cerimônia no Palácio do Planalto O presidente Jair Bolsonaro estava com uma crise de soluço persistente nos últimos dias

O cirurgião gástrico Antonio Macedo, o mesmo que conduziu a recuperação do presidente Jair Bolsonaro em função da facada que levou durante a campanha eleitoral, em 2018, viajou nesta quarta-feira, 14, até Brasília para avaliar o estado de saúde do chefe do Executivo. A informação foi confirmada pelo ministro das Comunicações, Fabio Faria. Bolsonaro foi internado nesta manhã no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília, após sentir dores abdominais. Mais cedo, outro ministro, Luiz Eduardo Ramos, da Casa Civil, havia afirmado que Bolsonaro “está bem” e ficará “apenas em observação”. Em nota, a Secretaria de Comunicação (Secom) informou que o chefe do Executivo federal “ficará sob observação, no período de 24 a 48 horas, não necessariamente no hospital”. Nos últimos dias, o presidente estava com uma crise de soluço persistente, sofrendo ao falar em eventos, a apoiadores e também na live da última quinta-feira, 8.

Desde 2018, Bolsonaro passou por uma série cirurgias em decorrência do atentado que sofreu em setembro de 2018, em Juiz de Fora, quando foi ferido por uma facada. A primeira foi feita ainda na Santa Casa de Juiz de Fora, logo após ser atingido por Adélio Bispo em ato de campanha em 6 de setembro de 2018. Depois, o então candidato foi transferido para o Hospital Albert Einstein e passou a ser acompanhado pelo cirurgião Antonio Luiz Macedo e pelo cardiologista Leandro Echenique. Ainda em 2018, o presidente realizou uma segunda cirurgia. Em janeiro do ano seguinte, o presidente retirou a bolsa de colostomia. Em setembro de 2019, retirou uma hérnia. Bolsonaro ainda realizou uma vasectomia e fez uma cirurgia de cistolitotripsia endoscópica para a retirada de cálculo da bexiga em 2020.