Discurso de Bolsonaro pode inviabilizar solução para precatórios

Governistas temem que eventual tom belicoso do presidente contra o STF inviabilize o acordo que tem sido negociado para reduzir o valor a ser pago em 2022 de R$ 90 bi para R$ 40 bi

  • Por André Siqueira
  • 07/09/2021 11h13 - Atualizado em 07/09/2021 11h14
WALLACE MARTINS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 26/11/2020Aliados do presidente temem que discurso inviabilize interlocução do Executivo com o Legislativo e o Judiciário

Aliados políticos e pessoas que conversaram com o ministro da Economia, Paulo Guedes, nos últimos dias têm uma preocupação específica a respeito das manifestações desta terça-feira, 7. Na avaliação desses integrantes do governo, o discurso do presidente Jair Bolsonaro pode impactar o acordo que tem sido costurado para solucionar o “meteoro” de quase R$ 90 bilhões dos precatórios. Segundo apurou a Jovem Pan, os governistas temem que um eventual tom belicoso do chefe do Executivo federal contra o Supremo Tribunal Federal (STF) inviabilize as tratativas que envolvem as cúpulas do Legislativo e do Judiciário. Nas últimas semanas, Guedes e a equipe econômica têm negociado para reduzir o montante a ser pago em 2022 para R$ 39,9 bilhões. A solução passaria por uma resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), presidido pelo ministro Luiz Fux, sem que houvesse a necessidade do Congresso Nacional aprovar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC). Bolsonaro irá discursar em Brasília e em São Paulo. Em uma entrevista à Rádio Jornal Pernambuco, na última semana de agosto, o mandatário do país afirmou que fará um “pronunciamento mais demorado” a seus apoiadores na Avenida Paulista.