Ex-assessores de Gabriel Monteiro relatam receber ameaças de morte em depoimento na Conselho de Ética da Câmara do Rio

Vinícius Hayden chegou para depor usando colete à prova de balas e com forte esquema de segurança para garantir sua integridade

  • Por Jovem Pan
  • 25/05/2022 19h55 - Atualizado em 25/05/2022 19h58
PAULO CARNEIRO / PHOTOPRESS / ESTADÃO CONTEÚDO Conselho de Ética da Câmara do Rio de Janeiro debate caso de Gabriel Monteiro Conselho de Ética da Câmara do Rio de Janeiro debate caso de Gabriel Monteiro, acusado de estupro, assédio sexual e de forjar vídeos para internet

Os ex-assessores do vereador Gabriel Monteiro (PL) Vinícius Hayden e Heitor Nazaré foram as primeiras testemunhas a depor no processo contra o parlamentar que Conselho de Ética da Câmara Municipal do Rio de Janeiro nesta quarta, 25. Os dois chegaram para depor sob forte esquema de segurança e Hayden usava até um colete à prova de balas, devido a ameaças que os dois receberam. “Eles relataram que as ameaças de morte e de agressões físicas partiram de seguidores do vereador Gabriel Monteiro pelas mídias sociais”, contou o vereador Luiz Ramos Filho (PMN).

Os ex-assessores reafirmaram as denúncias contra Monteiro, de assédio sexual e assédio moral, e disseram que havia orientações do vereador para produzir dossiês que pudessem constranger outros parlamentares e autoridades públicas. O vereador Chico Alencar (PSOL) ainda relatou que as testemunhas detalharam o esquema de produção e manipulação de imagens e personagens nos vídeos que Monteiro produzia para o YouTube, no que seria uma relação promíscua entre gabinete, assessores e a atividade de youtuber, em outra das acusações. Monteiro nega ter cometido os supostos crimes. Na próxima terça, 31, a partir das 13h, serão ouvidos como testemunhas de acusação os ex-funcionários Luiza Caroline Bezerra Batista e Mateus Souza de Oliveira. Ainda haverá mais uma testemunha de acusação e oito da defesa do vereador do PL a serem ouvidas depois, e esta fase do processo deve durar até 9 de junho. Caso seja condenado por quebra de decoro parlamentar, Monteiro perderá o mandato. O vereador também é alvo de investigações da Polícia Civil carioca.