Lira e Pacheco lamentam morte de Marília Mendonça: ‘Rainha da sofrência e voz de alegria’

Cantora de 26 anos, produtor, assessor, piloto e copiloto morreram em acidente aéreo que ocorreu na cidade de Caratinga (MG) na tarde desta sexta-feira, 5

  • Por Jovem Pan
  • 05/11/2021 19h20
Luis Macedo/Câmara dos Deputados Presidentes do Senado e da Câmara em coletiva de imprensa Presidentes da Câmara e do Senado foram às redes sociais se manifestar sobre a tragédia

Os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), também se manifestaram sobre a morte de Marília Mendonça. A cantora de 26 anos e outras quatro pessoas – o produtor Henrique Ribeiro, seu tio e assessor Abicieli Silveira Dias Filho, o piloto e o copiloto do avião – foram as vítimas fatais de um acidente aéreo que ocorreu na tarde desta sexta-feira, 5, na cidade de Caratinga, no interior do Estado de Minas Gerais.

“A rainha da sofrência, Marília Mendonça, sempre foi uma voz e presença de alegria e simpatia. Isso vai ficar sempre no coração e nas memórias de todos nós, fãs dela – como eu. Meus sentimentos aos familiares dela e de todas as vítimas deste trágico acidente”, disse Lira em seu perfil no Twitter. Na mesma rede social, Pacheco escreveu: “Com muita tristeza recebo a notícia do falecimento da cantora Marília Mendonça, morta precocemente, aos 26 anos, vítima de um acidente aéreo em Minas Gerais, nesta sexta-feira (5). Expresso meus profundos sentimentos aos familiares, aos milhares de fãs e aos amigos da artista”.

Os governadores de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), e de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), também se manifestaram. A cantora nasceu em Cristianópolis, município goiano. “Lamento o falecimento da cantora Marília Mendonça e demais integrantes de sua equipe, em decorrência de acidente de avião ocorrido em Piedade de Caratinga, nessa sexta, 5/11. Meus sentimentos aos familiares das vítimas e aos fãs dessa artista tão querida por todos nós mineiros”, disse Zema. “Não existem palavras para descrever esse momento. Só podemos pedir que Deus console e conforte o coração de todas essas famílias, amigos e o pequeno Léo, filho da cantora. Marília tinha um grande coração e se destacava por, além de levar alegria aos brasileiros, ajudar e cuidar das pessoas. Goiás está em luto”, afirmou Caiado.

Como a Jovem Pan mostrou, a aeronave que transportava Marília Mendonça e parte de sua equipe estava em situação regular para táxi aéreo, segundo o Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB) da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O avião bimotor Beech Aircraft, prefixo PT-ONJ, fabricado em 1984, foi comprado pela PEC Táxi Aéreo em julho de 2020 e tinha capacidade para seis pessoas. “O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais informa que nesta sexta (5), ocorreu a queda de uma aeronave de pequeno porte, modelo Beech Aircraft, na zona rural de Piedade de Caratinga. O CBMMG confirma que a aeronave transportava a cantora Marília Mendonça e que ela está entre as vítimas fatais”, diz a nota divulgada pelo Corpo de Bombeiros de Minas Gerais. A equipe da cantora também se manifestou. “Com imenso pesar, confirmamos a morte da cantora Marília Mendonça, seu produtor Henrique Ribeiro, seu tio e assessor Abicieli Silveira Dias Filho, do piloto e co-pilto do avião, os quais iremos preservar os nomes neste momento. O avião decolou de Goiânia com destino a Caratinga/MG, onde Marília teria uma apresentação esta noite. De momento, são estas as informações que temos”, diz íntegra do texto.