Na Esplanada dos Ministérios, policiais e indígenas trocam flechas e bombas de gás

Quando o confronto iniciou, manifestantes protestavam contra projeto de lei que propõe alterar demarcação de terras indígenas; veja vídeos

  • Por Giullia Chechia Mazza
  • 22/06/2021 18h52 - Atualizado em 22/06/2021 21h21
Imagem: Reprodução/Twitter @zumpanoandressaDevido à confusão nesta tarde, uma reunião que discutiria o Projeto de Lei 490/2007 foi cancelada

Policiais e indígenas trocaram flechas e bombas de gás na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, nesta terça-feira, 22. Em frente ao Anexo 2 da Câmara dos Deputados, que dá acesso à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), um grupo de 500 a 800 indígenas protestavam contra o Projeto de Lei 490/2007, que pode anular a demarcação de suas terras, quando o confronto começou. Devido à confusão nesta tarde, uma reunião que discutiria a proposta na CCJ precisou ser desmarcada. A assessoria da Câmara afirmou que um policial legislativo, um policial militar e um servidor da área administrativa da Polícia Legislativa foram feridos por flechas — todos foram socorridos por médicos e passam bem. Com ferimentos graves causados por bombas de efeito moral, gás lacrimogêneo e gás de pimenta, dois indígenas seguem em observação no Hospital de Base de Brasília.

De acordo com a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), os policiais iniciaram o confronto em tentativa de inibir o protesto. “Um grupo de indígenas, com crianças e pessoas idosas, foi atacado pela Polícia Militar, durante um protesto pacifico contra a votação do Projeto de Lei 490/2007. […]. Os manifestantes do acampamento Levante pela Terra marchavam pacificamente pela Esplanada dos Ministérios, quando foram recebidos com bombas de gás e efeito moral, a partir de barricada montada pelo Batalhão de Choque na entrada do Anexo 2 da Câmara. Não houve nenhuma ação ou incidente da parte dos indígenas que justificasse a reação violenta dos policiais”, disse a instituição em nota à qual a Jovem Pan teve acesso. Em comunicado, policiais contradisseram a versão alegando que fizeram o uso de bombas para “evitar a invasão do prédio”, uma vez que o grupo teria “derrubado as grades da entrada do edifício e as arremessado contra os policiais legislativos”, dando início, em seguida, ao disparo de flechas “na tentativa de invasão”.

Confira vídeos do confronto: