Na TV, Datena confirma filiação ao PSD: ‘Não gostei da fusão do PSL com o DEM’

Cotado como candidato à Presidência, apresentador diz que seu foco é disputa ao Senado, mas não descarta ser vice de Ciro Gomes, do PDT

  • Por Jovem Pan
  • 02/11/2021 18h09 - Atualizado em 02/11/2021 18h12
Reprodução/YouTube/Melhor da TardeDatena anunciou sua filiação ao PSD durante uma inserção do 'Brasil Urgente' no programa 'Melhor da Tarde', da TV Bandeirantes

O jornalista e apresentador José Luiz Datena confirmou, na tarde desta terça-feira, 2, que vai se filiar ao PSD, do ex-prefeito e ex-ministro Gilberto Kassab. O anúncio foi feito durante o programa “Melhor da Tarde”, da TV Bandeirantes. Datena disse que a fusão do PSL com o DEM, que resultará na criação do União Brasil, não o agradou. “Depois teve essa fusão com o DEM e, de repente, na fusão, não que eu não goste do que esteja acontecendo, mas eu não me dei muito bem com a fusão. Eu não gostei da fusão, só fiquei sabendo quando ela estava definida, por isso resolve sair e seguir o meu caminho”, explicou. Cotado como candidato à Presidência da República, o apresentador disse que mira uma candidatura ao Senado, mas ressalta que está à disposição de seu novo partido para “trabalhar para o povo”. Datena se filiou ao PSL em julho deste ano.

“Eu vou deixar o PSL e vou para o PSD, que é o partido do Kassab. Isso está definido. O interesse que tenho de entrar para a vida pública é o de trabalhar para o povo. Quando percebo que tem gente que tem mais interesse em barganhar do que trabalhar para o povo, eu mudo de lugar. Dessa vez, confirmo que vou ser candidato mesmo. A quê? A que o partido definir. Por enquanto, o candidato do partido [à Presidência] é o Rodrigo Pacheco. Se quiserem que eu ajude o Rodrigo Pacheco, posso ajudar”, disse Datena. “Desde o começo, quando comecei a conversar com o PSL, eu disse que meu objetivo era o Senado. A [deputada estadual] Janaina Paschoal queria que eu fosse candidato ao governo, mas meu objetivo sempre foi, de fato, o Senado. O partido [PSL] que me deu a incumbência de ser candidato à Presidência. Depois teve essa fusão com o DEM e, de repente, na fusão, não que eu não goste do que esteja acontecendo, mas eu não me dei muito bem com a fusão. Eu não gostei da fusão, só fiquei sabendo quando ela estava definida, por isso resolve sair e seguir o meu caminho”, acrescentou.

Ainda segundo o âncora da TV Bandeirantes, não está descartada a possibilidade de compor a chapa de Ciro Gomes, candidato do PDT à Presidência da República. “Eu gostaria muito de servir o Brasil como presidente ou como vice do Ciro, também de quem gosto muito. Posso ser vice do partido também”, resumiu. Como a Jovem Pan mostrou, este cenário foi apresentado a Datena pelo presidente nacional da sigla, Carlos Lupi – o dirigente se reuniu com o apresentador na primeira quinzena de setembro.