PP oficializa o nome de Arthur Lira como candidato do partido à Presidência da Câmara

Definição ocorreu nesta terça-feira, 1º, em reunião da bancada da Câmara com a presidência nacional da sigla; Lira é um dos principais líderes do Centrão e se tornou aliado do presidente Jair Bolsonaro

  • Por André Siqueira
  • 02/12/2020 10h44 - Atualizado em 02/12/2020 12h24
Maryanna Oliveira/Câmara dos DeputadosArthur Lira

A bancada do Progressistas (PP) na Câmara dos Deputados e o diretório nacional do partido oficializaram o nome do deputado Arthur Lira (PP-AL) como candidato da sigla à Presidência da Casa. A definição ocorreu em uma reunião nesta terça-feira, 1º, que contou com a presença de cerca de 40 parlamentares, entre eles o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR). A informação foi confirmada à Jovem Pan por uma das lideranças do PP. “A bancada e a presidência nacional sentaram ontem e oficializaram o nome do Arthur. Todos, de certa forma, declararam apoio ao Arthur. Ele tem apoio consolidado dentro do Progressistas”, resumiu. Um dos expoentes do chamado Centrão, Lira se tornou um importante aliado do presidente Jair Bolsonaro e é considerado um dos postulantes mais competitivos à cadeira que hoje é ocupada por Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Dentro do PP, outro nome colocado como pré-candidato era o do deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB). Na prática, a decisão tomada nesta segunda-feira inviabiliza os planos de Ribeiro, parlamentar próximo a Maia – uma das possibilidades discutidas até então nos bastidores era a de o presidente da Câmara apoiar a candidatura do aliado. “Se o Aguinaldo fosse sair candidato, ele iria para uma candidatura avulsa, não com o apoio do Progressistas”, afirma a liderança do partido. Na avaliação deste parlamentar, apesar de Arthur Lira liderar um bloco com aproximadamente 170 deputados, outros partidos aguardam a definição sobre a possibilidade de Maia poder se reeleger para definir qual nome apoiar. “As siglas que não têm candidato estão aguardando para ver se o Rodrigo vai ser candidato, se ele vai apoiar alguém. Se ele consegue costurar uma aliança para o Baleia Rossi [presidente nacional e líder do MDB na Câmara] apoiar o Marcos Pereira [presidente nacional do Republicanos e vice-presidente da Câmara], ou o Marcos apoiar o Baleia, aí nasce um alicerce forte, porque você teria MDB, Republicanos e DEM. Os partidos sem candidato sempre entram no maior bloco porque as chances de ganhar são maiores e, consequentemente, as chances de conquistarem postos em comissões importantes também”, avalia. Baleia Rossi e Marcos Pereira são outros dois nomes cotados para disputar a Presidência da Câmara. A eleição ocorrerá em fevereiro de 2021.