PT decide apoiar Rodrigo Pacheco em eleição para presidência do Senado

Senador do DEM foi o nome escolhido por Davi Alcolumbre para sucedê-lo; além do PT, Pacheco também conta com o apoio do PSD, do Republicanos e do PROS

  • Por André Siqueira
  • 11/01/2021 14h06 - Atualizado em 11/01/2021 14h53
Marcelo Camargo/Agência BrasilEleição ocorrerá no dia 1º de fevereiro

A bancada do PT no Senado decidiu, por unanimidade, apoiar a candidatura de Rodrigo Pacheco (DEM-MG) à presidência da Casa. O senador do DEM é o nome escolhido pelo atual presidente, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para sucedê-lo. Os petistas se reuniram virtualmente, na manhã desta segunda-feira, 11, para tratar sobre o tema. A eleição ocorrerá no dia 1º de fevereiro. Em nota, a bancada, formada por seis senadores, afirma que tomou a decisão “considerando a grave situação econômica, social e política do país” e “a necessidade de reforçar a institucionalidade e a legalidade democráticas no âmbito do Estado brasileiro”.

A possibilidade de o PT apoiar Pacheco vinha sendo debatida há alguns dias, apurou a Jovem Pan com integrantes do partido. O senador do DEM é tido como um parlamentar independente e foi elogiado por sua atuação à frente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, quando ainda era deputado federal. À época, Pacheco, então filiado ao MDB, conduziu as investigações contra o ex-presidente Michel Temer.

A bancada do partido também afirma que a decisão da sigla foi pautada pela necessidade de “propor agenda para contribuir com a superação da gravíssima crise que o Brasil atravessa, que perpassa esforço corrente para rejeitar iniciativas voltadas para o desmonte do Estado Democrático de Direito, incluindo propostas visando minar direitos civis, políticos, sociais e econômicos, muitas delas carentes de transparência e estofo técnico e científico”.

Além do PT e do próprio DEM, Pacheco conta com o apoio do PSD, segunda maior bancada do Senado, com 11 membros; do Republicanos, legenda do senador Flávio Bolsonaro (RJ), que possui três senadores; e do PROS, com mais três parlamentares. No total, 28 senadores integram o bloco do candidato escolhido por Alcolumbre. Para vencer a eleição, são necessários 41 votos.