Sessão do STF é interrompida por latidos dos cachorros do ministro Lewandowski

‘São os percalços do home office’, brincou o magistrado; Corte formou maioria para manter proibição à realização de showmícios

  • Por Jovem Pan
  • 07/10/2021 17h38 - Atualizado em 07/10/2021 19h07
Reprodução/YouTube/TV Justiça Ministro de Corte durante julgamento no sistema remoto Ministros do STF julgam se realização de showmícios em campanhas eleitorais é prática legal

O julgamento de uma ação que contesta a legalidade de “showmícios” gratuitos em campanhas eleitorais no Supremo Tribunal Federal (STF) foi momentaneamente interrompido por um motivo inusitado. O ministro Ricardo Lewandowski paralisou seu voto logo no início porque seus cachorros latiam em outro cômodo de sua residência. “Peço licença a Vossa Excelência por um minuto, que eu tenho aqui alguns participantes desta sessão não convidados”, disse o magistrado. Aos risos, o presidente da Corte, ministro Luiz Fux, respondeu: “Mas não mordem, não é? Acho que morro de medo de cachorro, inclusive, pela internet”. Lewandowski desligou sua câmera e se ausentou brevemente. Antes de seguir com a leitura de seu voto, pediu “escusas pela interrupção involuntária”. “Esses são os percalços do home office”, brincou. A análise das Ações Diretas de Constitucionalidade (ADIs) foi iniciada nesta quarta-feira, 6. Nesta quinta-feira, 7, o Supremo formou maioria para manter a proibição da realização de “showmícios”. Os ministros Alexandre de Moraes, Nunes Marques, Edson Fachin, Rosa Weber e Ricardo Lewandowski seguiram o voto do relator do caso, Dias Toffoli.