STF retoma julgamento sobre depoimento de Bolsonaro no caso da interferência na PF

Denúncia foi feita pelo então ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, na sua saída do governo, em abril de 2020

  • 06/10/2021 10h19
Alan Santos/Presidência da RepúblicaO presidente Jair Bolsonaro e o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro

O Supremo Tribunal Federal (STF) retoma, nesta quarta-feira, 6, o julgamento que define se o presidente Jair Bolsonaro deve prestar depoimento presencial no âmbito do inquérito que apura suposta interferência na Polícia Federal (PF). Já foram ouvidos ministros do governo e delegados da corporação, restando apenas a oitiva do mandatário do país para que a Corte decida quais os próximos passos da investigação. A denúncia foi feita pelo então ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, na sua saída do governo, em abril de 2020. O caso que envolve o ex-juiz da Operação Lava Jato e o chefe do Executivo federal é o primeiro item da pauta da sessão de hoje. Na prática, os magistrados do STF vão decidir se seguem a decisão do ex-ministro Celso de Mello que negou ao presidente da República a faculdade de optar pelo depoimento por escrito. À época, o decano da Corte destacou que, como investigado, Bolsonaro não dispõe das prerrogativas previstas no artigo 221 do Código de Processo Penal.