TSE diz que invasão em 2018 não representou risco à integridade das eleições

Em nota, o Tribunal afirma que o inquérito divulgado pelo presidente Jair Bolsonaro não se trata de ‘informação nova’ e nega possibilidade de fraude nas urnas eletrônicas

  • Por Jovem Pan
  • 05/08/2021 15h43 - Atualizado em 05/08/2021 15h45
Nelson Jr./ ASICS/TSETSE divulgou nota após falas do presidente Jair Bolsonaro

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou nota nesta quinta-feira, 5, em que afirma que a invasão ao sistema interno da instituição em 2018 não comprometeu a integridade das eleições. A manifestação ocorreu após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) publicar nas redes sociais um inquérito da Polícia Federal que apura o ocorrido. “O episódio de 2018 foi divulgado à época em veículos de comunicação diversos. Embora objeto de inquérito sigiloso, não se trata de informação nova”, diz o comunicado do TSE.  “O acesso indevido, objeto de investigação, não representou qualquer risco à integridade das eleições de 2018. Isso porque o código-fonte dos programas utilizados passa por sucessivas verificações e testes, aptos a identificar qualquer alteração ou manipulação. Nada de anormal ocorreu”.

Segundo o TSE, não existe possibilidade de adulteração do código-fonte pois ele é assinado digitalmente e lacrado. “Cabe acrescentar que o código-fonte é acessível, a todo o tempo, aos partidos políticos, à OAB, à Polícia Federal e a outras entidades que participam do processo”, diz a nota. O Tribunal afirmou ainda que não é possível acessar as urnas remotamente pois elas não são conectadas à internet. “Por essa razão, é possível afirmar, com margem de certeza, que a invasão investigada não teve qualquer impacto sobre o resultado das eleições. O próprio TSE encaminhou à Polícia Federal as informações necessárias à apuração dos fatos e prestou as informações disponíveis. A investigação corre de forma sigilosa e nunca se comunicou ao TSE qualquer elemento indicativo de fraude”, completa.