Produção industrial tem leve recuperação sazonal em setembro, mas acumula perdas

  • Por Jovem Pan com AE
  • 01/11/2016 09h29
Produção industrial

A produção industrial subiu 0,5% em setembro ante agosto, na série com ajuste sazonal, divulgou nesta terça-feira, 1º, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A leve recuperação, no entanto, não repõe a perda de 3,5% de agosto em relação a julho.

Em relação a setembro de 2015, a produção caiu 4,8%, no índice menos pior desde dunho do ano passado.

No ano, a produção da indústria acumula queda de 7,8%. Em 12 meses, o recuo é de 8,8%. No terceiro trimestre a produção industrial caiu 5,5% ante igual trimestre de 2015.

Análise de Denise Campos de Toledo

A comentarista Jovem Pan de economia Denise Campos de Toledo explica que há uma recuperação sazonal dos números da indústria, mas que não devem ser vistos com muito otimismo.

Nesta época do ano a indústria aumenta a produção para fazer frente ao aumento de vendas de final de ano, embora ninguém espere um natal maravilhoso. O que havia surpreendido era o tombo registrado em agosto, que pegou quase todos os ramos de atividades e mostrou que o terceiro trimestre deve ter sido de queda novamente do PIB.

Bens intermediários e bens duráveis puxaram a recuperação em setembro, exatamente com foco no fim do ano.

Mas o desempenho geral continua bem ruim, com queda de 5,1% de bens de capital na coparação mensal, e outros dados negativos em bens de consumo e semiduráveis (veja mais abaixo).

A Indústria ainda está longe de um processo mais consistente de recuperação. O tombo no ano é pesadíssimo. Em bens de capital, indicador de quanto a indústria investe, houve uma queda de quase 20% em 12 meses.

O último balanço da CMI apontou que a recuperação só deve ocorrer mesmo em 2018.

Mais dados

A produção da indústria de bens de capital caiu 5,1% em setembro ante agosto, informou o IBGE. Na comparação com setembro de 2015, o indicador mostra queda de 7,2%. Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF). No acumulado de 2016, houve redução de 15,0% na produção de bens de capital. Em 12 meses, o resultado é de retração de 19,8%.

Em relação aos bens de consumo, a pesquisa registrou queda de 0,5% na passagem de agosto para setembro. Na comparação com setembro de 2015, houve recuo de 5,7%. No acumulado do ano, a queda é de 6,4%, enquanto a taxa em 12 meses é de recuo de 7,6%

Na categoria de bens de consumo duráveis, o mês de setembro foi de alta de 1,9% ante agosto, e queda de 6,5% em relação a setembro de 2015. Entre os semiduráveis e os não duráveis houve diminuição na produção de 1,0% em setembro ante agosto, e recuo de 5,5% na comparação com setembro do ano passado.

Para os bens intermediários, o IBGE informou que o indicador teve alta de 1,2% em setembro ante agosto. Em relação a setembro do ano passado, houve redução de 4,1%. No acumulado do ano, houve queda de 7,6%, enquanto a taxa em 12 meses ficou negativa em 8,1%.

O índice de Média Móvel Trimestral da indústria ficou negativo em 1,1% em setembro.

Revisão

O IBGE revisou o dado da produção industrial do mês de agosto ante julho, de -3,8% para -3,5%. O resultado de julho ante junho também foi revisto, de 0,1% para -0,1%.

A produção de bens de capital de agosto ante julho foi revisada de uma taxa positiva de 0,4% para um ligeiro recuo de 0,1%. O resultado de julho ante junho passou de -2,1% para -3,5%, enquanto o de junho ante maio saiu de 2,2% para 3,2%.

Já a fabricação de bens intermediários em agosto ante julho passou de -4,3% para -3,6%, enquanto a de julho ante junho saiu de 1,9% para 1,7%.

A produção de bens de consumo duráveis em agosto ante julho foi revisada de -9,3% para -6,4%. O resultado de julho ante junho saiu de 4,4% para 3,6%.

A fabricação de bens de consumo semi e não duráveis em agosto ante julho teve ligeiro ajuste de -0,9% para -1,0%.

Com informações complementares de Estadão Conteúdo