‘Centrão está incomodado com exigências de transparência’, diz Torlay sobre emendas do relator

Comentaristas do programa 3 em 1 analisaram maioria formada pela Corte contra as emendas do orçamento secreto

  • Por Jovem Pan
  • 09/11/2021 18h01
Pedro Franca / Agência SenadoPara comentarista, parlamentares do Centrão não querem que seus eleitores saibam o destino do dinheiro público

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria contra o pagamento das emendas de relator, conhecidas como “orçamento secreto”. Com isto, a Corte impõe uma derrota ao governo Bolsonaro e ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). Votaram neste sentido os ministros Rosa Weber, Edson Fachin, Cármen Lúcia, Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Ricardo Lewandowski. O julgamento foi feito pelo plenário virtual da Corte, modalidade na qual os ministros apenas depositam seus votos eletronicamente no sistema do STF. O prazo para a apresentação de votos termina às 23h59 desta terça-feira, 9. Os ministros Nunes Marques, Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Luiz Fux ainda não apresentaram seus votos.

Durante sua participação no programa 3 em 1, da Jovem Pan, a comentarista Bruna Torlay analisou a maioria formada pelos ministros do STF, dizendo que a Corte está exigindo transparência e que ela não vê problema nisso. Além disso, Torlay apontou que o Centrão estaria incomodado com a exigência porque seus parlamentares não querem que os eleitores saibam o uso de recursos públicos. “Pelo que eu entendi, o STF decidiu pela transparência dos recursos. Quando a gente fala de ‘orçamento secreto’ é uma expressão complicada, porque não permite que a gente entenda bem. Quando a gente fala de emenda de relator é o seguinte: o presidente da Câmara pode distribuir emendas sem, necessariamente, dizer como. O que o STF exige é transparência e, nesse sentido, não vejo nenhum problema. A gente percebe aí que tem um Centrão incomodado com exigências de transparência para as tais emendas de relator, o problema está com os parlamentares, que não querem que seus eleitores saibam qual é o uso que eles farão dos recursos”, analisou Torlay

Confira o programa desta terça-feira, 9: