Constantino critica ações de Biden no Afeganistão: ‘Lambança sem precedentes’

Declaração foi feita pelo comentarista durante o programa 3 em 1, da Jovem Pan, desta segunda-feira, 16, que debateu a crise no país asiático e o avanço do grupo Talibã

  • Por Jovem Pan
  • 16/08/2021 18h10 - Atualizado em 16/08/2021 19h27
EFE/EPA/AKHTER GULFAMPaís asiático vive momento de crise, com centenas de afegãos tentando deixar o país

Em meio ao agravamento da crise no Afeganistão, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou o envio de mil soldados para o país na missão de restabelecer a segurança no aeroporto de Cabul. O novo grupo se juntará aos seis mil soldados localizados no Afeganistão neste momento. Nas últimas 24 horas, foram registradas cenas de caos nas instalações do aeroporto, principalmente nas pistas de pouso e decolagem, onde centenas de afegãos tentaram subir em aviões militares norte-americanos para deixar o país. Ao menos duas pessoas, que segundo os EUA estavam armadas, foram baleadas por soltados e morreram. A situação fez com que o governo americano paralisasse a saída de aeronaves militares da capital afegã. Os americanos visam tirar 30 mil pessoas do país, incluindo americanos e afegãos que pediram asilo. Em pronunciamento, Biden citou os altos custos da guerra no Afeganistão e afirmou que, mesmo diante da situação, a retirada das tropas americanas seguirá. “Os soldados norte-americanos não poderiam e nem deveriam lutar e morrer em uma guerra que as forças afegãs não estão dispostas a lutar por elas mesmas”, afirmou.

Durante sua participação no programa 3 em 1, da Jovem Pan, o comentarista Rodrigo Constantino falou sobre o tema, dizendo que as ações do presidente Joe Biden foram uma ‘lambança’ e que o risco de terrorismo no mundo aumenta. “É uma lambança sem precedentes do Biden. Eu tinha dúvidas se Biden seria tão ruim quanto o Obama, mas parece que ele vai ser pior que o Jimmy Carter, que permitiu que os aiatolás tomassem o poder no Irã e deu no que deu. O risco de terrorismo no mundo aumenta. É uma situação lamentável e deplorável que mostra como é difícil construir uma sociedade, uma civilização. Vinte anos de permanência das tropas lá e não conseguiram criar nada parecido com um exército decente e em defesa do povo. No anúncio da retirada, totalmente atabalhoada e sem nenhum planejamento, os malucos do Talibã já tinham tomado o poder. Isso vai ser uma mudança de placas tectônicas na geopolítica: os globalistas  conta os imperialistas chineses que já saíram em defesa do novo governo que tomou o poder, que é diferente de ganhar nas urnas”, afirmou Constantino.

Confira a íntegra da edição desta segunda-feira, 16: