Constantino elogia ação de Bolsonaro contra medidas restritivas e volta a criticar governadores: ‘Estão abusando de poder’

Declaração foi dada pelo comentarista durante sua participação no programa 3 em 1 desta sexta-feira, 19, no qual foi discutida a ação de Bolsonaro no STF contra o isolamento social

  • Por Jovem Pan
  • 19/03/2021 18h13 - Atualizado em 19/03/2021 18h26
EFE/ Joédson Alves/ArchivoADI assinada por Bolsonaro foi apresentada ao STF na quinta-feira, 18

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que a Advocacia-Geral da União (AGU) entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra medidas restritivas adotadas pelos governadores para tentar conter a pandemia da Covid-19. “Entramos com uma ação hoje, ação direta de constitucionalidade, junto ao Supremo Tribunal Federal justamente buscando aqui conter esses abusos. Entre eles, o mais importante, é que a nossa ação foi contra o decreto de três governadores, que inclusive no decreto o cara bota ali toque de recolher, isso é estado de defesa, estado de sítio que só uma pessoa pode decretar: eu. Mas quando eu assino o decreto, de defesa de sítio, ele vai para dentro do parlamento. Lá o Daniel vai votar, os senadores vão votar, e se eles decretarem entra em vigor”, afirmou Bolsonaro. Segundo ele, a ação foi analisada pelo ministro da Justiça, André Mendonça, antes de ser enviada para o STF, o que aconteceu na última quinta-feira, 18.

Ao falar sobre o tema, o comentarista Rodrigo Constantino disse, durante sua participação no programa 3 em 1, da Jovem Pan, desta sexta-feira, 19, que os governadores estão cometendo “abuso de poder”, elogiando a atitude do presidente. “Sobre a ADI do governo, assinada pelo próprio presidente Bolsonaro, eu aplaudo. Acima de tudo, são 24 páginas com muito embasamento jurídico, o respaldo dessa iniciativa chama-se Constituição Federal e está faltando isso no Brasil”, afirma o comentarista, que continuou: “É até curioso, quase irônico, que a mídia em geral e a esquerda toda, que é quase sinônimo, diziam que a grande ameaça autoritária vinha do presidente Bolsonaro e ele está entrando com uma provocação no STF, por uma ADI, para defender o direito do povo, a liberdade individual, enquanto que governadores, eu entendo a pressão, a fase não é boa, apesar de que estamos há um ano nesse discurso e as perguntas certas deveriam ser ‘onde estão os hospitais de campanha?’ e ‘o que foi feito antes?’. Mas ficam sempre com essa mesma solução mágica. E eu entendo a pressão até de um governador não aderir, porque é mais fácil você errar junto com todo mundo. Mostrar serviço e ser ‘Maria vai com as outras’. Estão sim abusando de poder.”

Constantino também citou uma declaração do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), na qual o mandatário diz que fechará as praias mesmo com a transmissão no local sendo considerada baixa. “Quero ler um trecho da entrevista do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, que diz: ‘A gente sabe que as praias não são um local de grande transmissão por serem um espaço aberto. Mas precisávamos sinalizar para a população que não dá para viver a vida normal’. Vocês vão me desculpar, mas isso não é normal. Isso não pode ser aceito dessa forma. No Rio Grande do Sul, o governador resolveu dizer o que é essencial e o que não é essencial, como se fosse fazer diferença, uma vez que a pessoa está no mercado, ir numa seção ou na outra. Isso é brincar de tirania”, acusou o comentarista. Por fim, Constantino disse que o STF é a entidade que “mais vem abusando de poder” e que nem a situação crítica justifica tais medidas. “Não é só porque temos problemas coletivos que vamos justificar tiranias”, concluiu o comentarista.

Confira a íntegra da edição do programa 3 em 1 desta sexta-feira, 19: