CEO da Visa Brasil conta como será o futuro dos meios de pagamento

Fernando Teles participou do programa Conselho de CEO, da Jovem Pan; ele lidera uma das iniciativas mais ambiciosas da história da companhia, a criação do WhatsApp Pay em parceria com o Facebook

  • Por Jovem Pan
  • 13/10/2020 17h52
Jovem PanFernando Teles está à frente da Visa Brasil desde 2016

O entrevistado desta terça-feira, 13, do programa Conselho de CEO, apresentado pelo jornalista e comentarista de negócios do Jornal da Manhã, Carlos Sambrana, é o presidente da Visa no Brasil, Fernando Teles. À frente da companhia desde 2016, o CEO lidera uma das iniciativas mais ambiciosas da história da companhia, a criação do WhatsApp Pay, uma plataforma de transferências financeiras que aguarda a aprovação do Banco Central para entrar em vigor. Em parceria com o Facebook, Fernando acredita que esse é o futuro dos meios de pagamento. “O Facebook escolheu fazer essa parceria com as bandeiras, mas não faz o papel das bandeiras e nem dos emissores, ele é um iniciador de pagamentos onde você tem uma identificação no Whatsapp e poderá transferir dinheiro de uma credencial para outra credencial. O dinheiro não fica retido no Whatsapp, sai de uma pessoa e vem para outro. O grande apelo é a experiência do usuário, porque num aplicativo que já é usado por milhões de pessoas, você terá a facilidade de fazer a transferência de recursos”, diz.

Ele garante que a operação é segura e que a criação do PIX não irá interferir no programa. “Existem camadas de segurança. Tem a segurança do próprio celular, com senha ou biometria, tem uma senha especial para autorizar a transação específica e, a cada transação, é gerado um número aleatório de cartão. Mesmo que alguém tente interceptar aqueles dígitos eles são únicos para aquela transação, na próxima é diferente. Não dá para pegar o celular dos outros e fazer um monte de transferência”, explicou. “O PIX serve para transferências instantâneas, iniciadas a partir do aplicativo dos bancos, que é uma diferença para nós. Entendemos que é mais uma alternativa. Os dois [Pix e WhatsApp Pay] são inclusivos e trazem uma população que não estava necessariamente nesse circuito de transferência. A ideia é diminuir a transação com dinheiro em espécie“, completou.

Inovação na estrutura física da empresa

Fernando Teles fez muitas mudanças dentro da Visa Brasil desde que iniciou como CEO. Uma delas foi a forma de remuneração e desempenho dos funcionários, aumentando o trabalho em equipe. “Uma grande mudança que fizemos foi a forma de olhar para o mercado. Criamos uma área de novos negócios, abrimos nossas portas para as fintechs, para os varejistas e uma série de participantes que queriam ingressar nesse setor. Também teve mudanças no ponto de vista de gestão. A empresa tinha uma dúvida entre remuneração e desempenho, então construímos um novo modelo de recompensa. Essa mudança criou uma unidade muito grande, transformou a relação de trabalho entre as pessoas. A Visa é uma empresa mundial e é estruturada matricialmente, e às vezes tinham metas e objetivos distintos por aérea, a unificação obrigou as pessoas a trabalhar por equipe e melhorou bastante”, explicou.

Segundo ele, nem todas as empresas conseguem implementar as mudanças físicas e de mentalidade. Para que a inovação seja eficiente, é importante entender o clima da companhia. “Depende muito da cultura de cada empresa. Não tem uma receita de bolo. Acho que são as pessoas que constroem as mudanças, são as pessoas que constroem o ambiente. Hoje, quatro anos depois, vejo a evolução”, comentou. Desde 2016 os funcionários da Visa tem regime de trabalho flexível, podem trabalhar na empresa ou em casa e essa flexibilização facilitou as operações durante a pandemia da Covid-19. “A estrutura de home office já tínhamos, então quando foi decretado a pandemia, no dia seguinte todos estavam trabalhando de casa. Agora estamos fazendo a volta ao escritório com todos os controles, uma mudança do layout proporcionou que a volta fosse mais tranquila. Ninguém tem lugar certo, tem distanciamento e máscara. As pessoas estão voltando, mas não voltam 100% do tempo. Acho que esse modelo híbrido será o vencedor”, disse.

Por fim, Fernando deixou um conselho para quem pretende empreender. “Tem uma coisa fundamental. Você tem que ser 100% do tempo justo e aderente aos seus valores. Toda vez que age assim, a chance de errar é muito menor e se errar, vai errar porque acreditou em algo e não foi bem sucedido. A transparência e a justiça pra mim são os grandes motivadores para qualquer decisão. Faça com os outros o que você gostaria de fizessem com você. Recebeu o contato de alguém? responda ao contato. Não precisa agradar todas as pessoas, precisa ser justo com todas as pessoas”, finalizou.

Assista na íntegra o programa Conselho de CEO com Fernando Teles: