Como um ex-catador de papelão e de latinhas virou presidente da Cisco Brasil?

Em entrevista ao programa Conselho de CEO, da Jovem Pan, Laércio Albuquerque relata trajetória de oportunidades que o levaram ao sucesso

  • Por Jovem Pan
  • 27/10/2020 17h13 - Atualizado em 27/10/2020 17h35
Jovem Pan News / YouTubeLaércio Albuquerque foi o entrevistado desta terça

O entrevistado do programa Conselho de CEO, apresentado pelo jornalista e comentarista de negócios do Jornal da Manhã, Carlos Sambrana, nesta terça-feira, 27, é Laércio Albuquerque, presidente da empresa de tecnologia Cisco no Brasil. Nascido na cidade de Batayporã, município com pouco mais de 10 mil habitantes no Mato Grosso do Sul, ele se mudou com a família para São Paulo ainda na infância e se agarrou em oportunidades ao longo da carreira para construir sua trajetória de sucesso.  “Na verdade, não é uma história do Laércio, é uma história de oportunidade, de como existe oportunidade no Brasil e se pode levar oportunidades para talentos espalhados pelo nosso país”, afirmou. Ao se mudar para a capital paulista, Laércio trabalhou ao lado do irmão catando papelão e latinhas nas ruas e também foi apanhador de bolinhas de tênis no clube do Banespa. Aos 14 anos, teve o primeiro emprego de carteira assinada como office boy no Centro de São Paulo e, aos 16, entrou de vez no mundo da tecnologia, à princípio, sendo contratado como estagiário.

“Foi o primeiro grande conselho onde a sabedoria vale mais do que o estudo. Eu expliquei tudo para meu pai, que nunca estudou. Falei ‘pai, está acontecendo isso, tem um trabalho, posso ser estagiário, mas se eu for estagiário em tecnologia eu vou aprender, mas talvez eu seja efetivado, mas eu posso perder o emprego… Meu pai escutou, escutou, e falou ‘filho eu não estou entendendo nada do que você está falando, mas seu olho está brilhando, então segue o brilho nos seus olhos, te prometo que nunca vai faltar o que vestir, o que comer. O resto você vai achar. Mal sabe ele e minha mãezinha, mas o conselho que eles me deram de ter mudado para tecnologia foi transformador para minha vida”, afirmou.

Como CEO da Cisco do Brasil, Laércio continua acreditando na oportunidade como uma forma de se fomentar bons funcionários: “Eu vejo que quando você dá oportunidade para quem não tem, esses talentos que estão escondidos debaixo do tapete no Brasil inteiro, quando você dá uma oportunidade [para um talento] ele agarra, faz de tudo e dá a vida para aquilo dar certo. Sempre faz a mais do que está no seu job description. Não está preocupado com plano de carreira, está preocupado com entregar bem feito e estar preparado para as oportunidades futuras”, analisou. Albuquerque também falou sobre suas reflexões após ter uma crise de stress, passar a noite no hospital e entender que o corpo pedia uma pausa de tantas informações diárias. “Hoje o que a tecnologia acaba fazendo, se você não for consciente, é você se entregar além da conta e a sua mente nunca está presente onde você está. Você está num jantar da família conectado em outros dez jantares ao mesmo tempo porque você fica em conexão o tempo inteiro. O seu filho está chegando da escola para contar uma coisa nova que aconteceu e você está escutando, só que só respondendo mais uma ‘coisinha’”, afirmou. Após o ocorrido, Albuquerque passou cinco semanas de férias e completamente afastado dos aparelhos tecnológicos, se dedicando à família e amigos próximos.

Futuro da tecnologia e conexão 5G

O CEO também falou sobre as projeções futuras para tecnologia no país e sobre a 5G e o Wi-Fi 6. “O 5G vai trazer a alta conectividade para aquilo que a gente chama de outdoor, de fora, que são as grandes cidades, os parques, o agro. Agora, tem toda a alta conectividade que precisa existir dentro de portas, né? Dentro de um hospital, dentro de uma escola, dentro das empresas. E o wi-fi 6, que tem uma velocidade gigantesca, já existe hoje. Então, o Wi-Fi 6 e esse 5G vão caminhar muito juntos, sendo que o Wi-Fi 6 é uma coisa do agora e o 5G é para onde se caminha. A Cisco se insere aí, justamente com essa exponenciação da velocidade”, explicou. Para Albuquerque, o mundo digital pode impor uma pressão muito grande aos trabalhadores da área de tecnologia, mas é importante “ser a melhor versão de você mesmo”, aconselhou. “O mundo digital e hiperconectado te traz uma pressão grande de você se transformar. Seja a melhor versão de você mesmo. Seja você mesmo sempre. Essa é a arte da imperfeição. Se você sabe que está sendo o seu melhor, não tentando ser melhor que o outro, que está do seu lado, vai te tirar uma carga e te dar um alívio libertador de que você pode vencer sendo você mesmo.”

Confira a edição do Conselho de CEO desta terça-feira, 27: