‘Grandes influenciadores podem não ter o engajamento de uma pessoa que é micro’, explica especialista Manu Carvalho

A influenciadora foi convidada da edição do programa De Tudo Um Pouco desta terça-feira, 26, e também falou sobre relevância do Instagram ao longo dos anos

  • Por Jovem Pan
  • 26/01/2021 22h47
Jovem PanManu Carvalho falou sobre os influenciadores nas redes sociais

A influenciadora e especialista em marketing migitial Manu Carvalho disse que, no momento, muitas empresas estão apostando em micro-influenciadores em vez de investirem em grandes nomes nas redes sociais. A influenciadora foi uma das convidadas da edição desta terça-feira, 26, do programa De Tudo Um Pouco, transmitido de terça à sexta às 21h no canal do Youtube da Jovem Pan Entretenimento e no Panflix. Ao falar sobre o tema, a influenciadora explicou que os pequenos produtores de conteúdo conseguem gerar mais engajamento do que grandes nomes por conta de sua proximidade com os seguidores. “A marca precisa entender o que ela quer. Ela quer ‘awareness‘, que seria gente com muito seguidor, ou ela quer relevância, quer engajamento, que seriam pessoas que, com certeza, têm menos seguidores. Porque? A gente tem visto essa tendência nos seguidores que as pessoas acabam confiando em quem elas se sentem mais próximas. E quem são essas pessoas? Aquelas que te respondem, que têm uma troca com você. As que tem menos seguidores”, explicou Manu, que continuou: “As grandes marcas tem apostado em pessoas de ‘awareness‘ para dar aquele ‘boom’, mas também têm olhado para os micro-influenciadores. (As ‘awareness’) São aquelas pessoas que têm um milhão de seguidores, dois, três, mas que, muitas vezes, podem não ter o engajamento de uma pessoa que é micro”.

Além disso, Manu também comentou como o Instagram, que é uma das principais redes sociais da atualidade, se manteve relevante mesmo depois de quase 11 anos de seu lançamento. “A plataforma começou como? Como uma rede social de fotos. As pessoas postavam fotos. A gente começou a ver muita selfie, muito procedimento, porque as pessoas queriam estar maravilhosas para ‘poder se postar’. O Instagram era uma plataforma que foi evoluindo. Ela criou os Stories, baseados no que o Snapchat estava fazendo, ela criou os Reels, baseados no que o TikTok estava fazendo. Porque que o Instagram está ai há tanto tempo. Por que ela (a rede social) consegue se atualizar muito rápido, ela entende para onde o mercado está indo e faz igual”, explicou a influenciadora, que continuou: O que o Snapchat era para valer se não tivesse os Stories… anos luz. Só que uma plataforma que tentou comprar o Snapchat criou igual. Falou: ‘Você não vai vender? Vou fazer igual’. E todo mundo já estava no Instagram. Então era muito mais fácil”, concluiu a especialista.

Confira a íntegra da edição do De Tudo Um Pouco desta terça-feira, 26: