Nilson Cesar e Bruno Prado batem boca ao comentar ‘teimosia’ de Diniz no São Paulo

O clima esquentou no programa Esporte em Discussão com a polêmica sobre a queda de rendimento do Tricolor na reta final do Campeonato Brasileiro; assista

  • Por Jovem Pan
  • 26/01/2021 14h50
Montagem sobre fotos/Reprodução/Jovem Pan/ LUCIANO CLAUDINO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDONilson Cesar e Bruno Prado analisaram a "teimosia" de Diniz no São Paulo

O São Paulo caiu de rendimento justamente na reta final do Campeonato Brasileiro, acumulando dois empates e três derrotas nas últimas cinco rodadas. A má sequência fez com que o Tricolor perdesse a liderança, ficando com 4 pontos a menos que o Internacional a seis jogos do fim. Para analisar a abrupta queda do time paulista, os jornalista do programa “Esporte em Discussão“, do Grupo Jovem Pan, levantaram diversos fatores, entre eles a “teimosia” do treinador Fernando Diniz em não abandonar sua filosofia de jogo. O resultado do debate? Um verdadeiro bate boca entre o locutor Nilson Cesar e o comentarista Bruno Prado.

No entendimento de Nilson Cesar, o São Paulo não conseguirá o heptacampeonato do Brasileirão porque tem um treinador “teimoso” e “óbvio”. “Fernando Diniz é bom treinador e está se formando. Não é depreciativo quando eu falo que ele não é espetacular. Ele é um técnico teimoso? É! É um técnico que tem uma monocultura tática? É! Se ele não tem qualidade, não adianta fazer aquela saída de bola. O São Paulo tem deficiência técnica para sair jogando. Quando não está dando certo, muda. Se o time tem sete pontos a mais do segundo colocado e não consegue sair trocando passes, muda a forma de jogar. Vai perder o campeonato por teimosia. O Fernando Diniz é um cara óbvio e teimoso. O cara para ganhar no futebol tem que aprender e é assim que ele cresce. E se o Diniz estivesse tão certo em suas convicções, o time dele ganharia”, comentou o narrador nesta terça-feira, 26.

Bruno Prado, no entanto, discordou veemente do colega, dizendo que o São Paulo só abriu vantagem na ponta da tabela graças ao estilo implantado por Diniz. Além disso, o comentarista recordou que o treinador já mudou a formação da equipe. “Eu acho que é mais falta de confiança do que deficiência. O time saiu jogando bem em quase todo o campeonato. E o problema atual é mais coletivo do que individual, porque se você tem opção de passe, você acerta o passe. Se não tem, você não acerta. E a equipe não tem nem como jogar no contra-ataque porque não tem velocista, tem que ser na base da troca de passes mesmo. O São Paulo só chegou a ficar com sete pontos de vantagem por causa desse estilo de jogo. O São Paulo não vai perder por teimosia. Então, se for assim, todo mundo que passou pelo São Paulo nos últimos anos foi teimoso?  E por que os treinadores reativos não são chamados de óbvios? Quem não ganha, merece respeito. Além disso, o Diniz mudou, sim, a forma de jogar: quando tinha um velocista (Antony), ele jogava com dois pontas. Quando ele perdeu, passou a atuar com dois meias (Gabriel Sara e Igor Gomes) e dois atacantes. A verdade é que o São Paulo não era nem para brigar por título”, retrucou.

Assista ao debate abaixo: