Vampeta relembra o dia em que viu Romário chorar por causa de Luxemburgo; assista

Participando do programa ‘Esporte em Discussão’, o ex-jogador revelou que ele e o Baixinho ficaram frustrados com uma atitude do treinador

  • Por Jovem Pan
  • 23/07/2021 16h03 - Atualizado em 23/07/2021 17h46
Montagem sobre fotos/Reprodução/Aldo Carneiro/Estadão Conteúdo/Jovem Pan/Instagram/@RomarioVampeta relembrou o dia em que Luxemburgo fez Romário chorar

Vampeta, comentarista do Grupo Jovem Pan, revelou nesta sexta-feira, 23, que o atacante Romário foi às lágrimas ao saber que não havia sido convocado para os Jogos Olímpicos de Sydney-2000. Participando do programa “Esporte em Discussão”, o ex-jogador contou que ele e o Baixinho passaram a viver a expectativa de representar a seleção brasileira olímpica após uma atuação de gala pela equipe principal nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2002, diante da Bolívia, no Maracanã. Ainda assim, o treinador da Canarinho na época, Vanderlei Luxemburgo, preferiu não chamar nenhum atleta com mais de 23 anos para o evento realizado na cidade australiana.

“Teve uma convocação da seleção em que os atacantes do Brasil estavam em crise, sem marcar nas Eliminatórias. Aí o Luxemburgo chamou o Romário para jogar contra a Bolívia. Com sete minutos de jogo, eu sofro o pênalti e, na preleção, estava definido que o Rivaldo bateria. O Baixinho pegou a bola, bateu e fez. Eu dei uma assistência para ele, outra para o Juninho. Enfim, metemos cinco! Depois do jogo, no vestiário do Maracanã, o Romário está tomando banho, eu passo por ele e falo: ‘Eu e você estamos garantidos nas Olimpíada’. A outra vaga vai ficar com o Paraíba (Rivaldo), Dida ou Antônio Carlos’. Quando saiu a convocação, o Luxa não levou ninguém acima de 23 anos. O Romário chorou igual uma criança! Ele já estava com a carreira consolidada, já havia sido melhor do mundo e chorou”, revelou Vampeta.

Há dois anos, em entrevista ao SporTV, Luxemburgo disse que seu principal erro como técnico foi não ter levado Romário à Sydney-2000 — mesmo com dois jogadores a mais, o Brasil acabou sendo eliminado para Camarões, nas quartas de final do torneio. “Eu teria levado o Romário para a Olimpíada. Eu simplesmente acompanhei uma determinação coletiva, de uma reunião, em que decidimos não levar jogadores com mais de 23 anos para a Olimpíada. Aquele time ganhou o Pré-Olímpico invicto e todo mundo achou que estava pronto para a Olimpíada. Na CBF tinha o Ricardo [Teixeira], o Marco Antônio [Teixeira, tio de Ricardo], que eram os dois que eu conversava mais. Na Olimpíada passada tinha tido um problema com os jogadores mais velhos. Os mais jovens não aceitaram, teve confusão… Foi uma grande bobagem. Eu tenho condição de administrar o Romário numa competição, e foi o erro que eu cometi. Essa é uma coisa que eu deveria ter feito e não fiz”, lamentou.

Assista abaixo: