5G abre caminho para internet das coisas e interligação de sistemas, diz especialista

Leilão da tecnologia será realizado nesta quinta-feira pela Anatel; certame envolve R$ 50 bilhões em investimentos

  • Por Jovem Pan
  • 04/11/2021 07h55 - Atualizado em 04/11/2021 08h41
ADMC/Pixabay Ilustração da tecnologia 3g migrando para a 5g, em primeiro plano na imagem No leilão, 15 empresas de telecomunicações apresentarão propostas à Anatel

A Anatel realiza leilão da tecnologia 5G nesta quinta-feira, 4, em Brasília, com 15 propostas de empresas. Você com certeza já ouviu falar em 5G, mas qual será a revolução prometida na internet? O especialista Luciano Carstens usa o trânsito como referência para detalhar a quinta geração de transmissão de dados. “Um congestionamento de tráfego que limita a velocidade do crescimento. É isso que aconteceu com a frequência do celular nas faixas de frequência e nas tecnologias anteriores”, aponta Carstens. A abertura das propostas está prevista para às 10 horas em um leilão que envolve R$ 50 bilhões em investimentos: R$ 10 bilhões em outorgas ao governo e o restante em infraestrutura para a futura rede.

“A velocidade média de conexão no Brasil hoje é de 17 mega no celular, podendo chegar a 100. Quando passarmos para a tecnologia 5G, a gente vai ter conexões de 1 a 100 gigas no aparelho móvel. Nesse momento, ele tem uma velocidade muito mais rápida, vamos fazer downloads de arquivos de vídeos muito mais rápidos”, acrescenta o especialista. O Ministério das Comunicações avalia que o 5G será ofertado nas capitais brasileiras até julho de 2022 dentro de um cronograma de até 10 anos. Luciano Carstens explica que a internet rápida permitirá as conexões simultâneas com vários aparelhos, irá beneficiar os tratores na agricultura, bem como na indústria, comércio, carros autônomos e escolas. “Cada dia mais a gente escuta falar sobre a ‘internet das coisas’, ou seja, tudo ligado, conectado à internet no nosso mundo atual. Por exemplo, a gente vê robôs fazendo cirurgias em que o médico cirurgião ou auxiliar está em outro país.”

Outras contrapartidas definidas pelo ministério às vencedoras das frequências são levar a internet 4g para cobertura total das rodovias, migrar o sinal da TV parabólica, liberar faixa para 5g, criar e rede privativa da administração federal e instalar fibra ótima via fluvial na região amazônica. Participam do leilão as grande operadoras de telefonia do Brasil e os consórcios que englobam médias e pequenas prestadoras de serviço na internet. Pela complexidade do maior leilão já realizado pela Anatel, checagem das propostas e habilitação das participantes, a definição das vencedoras pode ficar para sexta-feira, 5.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos