Anvisa define liberação de autotestes para Covid-19 nesta sexta-feira

Expectativa do Ministério da Saúde é que os exames sejam vendidos em farmácias e funcionem como um espécie de triagem para diagnóstico mais rápido da doença

  • Por Jovem Pan
  • 27/01/2022 09h17 - Atualizado em 27/01/2022 10h33
PAULO LOPES/BW PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Autotestes da Covid-19 são colocados em cima de uma mesa Recomendação é que pessoas com sintomas graves da doença, não devem fazer o autoteste e procurar assistência médica imediatamente.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) retoma nesta sexta-feira, 28, a discussão sobre a liberação de autotestes para Covid-19 no Brasil. A entidade vai analisar as diretrizes que o Ministério da Saúde pretende seguir para utilizar esse tipo de exame, a serem vendidos em farmácias. Na semana passada, a Anvisa decidiu adiar a decisão sobre o tema e solicitar mais informações ao governo. Na resposta, a pasta da Saúde recomenda seguir todas as recomendações dos fabricantes, o que inclui, em caso de resultado positivo, a indicação que o paciente se isole e procure um atendimento médico para que um profissional da saúde realize a confirmação e a notificação da doença. Se der negativo, um novo teste deve ser realizado se os sintomas persistirem.

Além disso, a recomendação é que pessoas com sintomas graves da doença, não devem fazer o autoteste e procurar assistência médica imediatamente. Segundo o Ministério da Saúde, os exames não devem ser usados para licença médica de trabalhadores e como comprovantes para viagens internacionais. A pasta também avalia que os autotestes podem ser uma espécie de triagem para o diagnóstico mais rápido da Covid-19. A expectativa é que o uso dos exames seja autorizado pela diretoria colegiada da Anvisa.

*Com informações da repórter Iasmin Costa