Após reclamações, Anvisa garante que não houve falha no envase da CoronaVac

Segundo a agência reguladora, casos em que o frasco multidose rende menos de 10 aplicações estão relacionados com o uso de seringas inadequadas; ao menos 12 Estados relataram o problema

  • Por Jovem Pan
  • 18/05/2021 05h28 - Atualizado em 18/05/2021 13h47
ALLISON SALES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Anvisa realizou inspeção nas áreas de envase da CoronaVac e realizou testes de extração e avaliação de queixas relativas a seringas e agulhas

Depois de reclamações de pelo menos 12 Estados, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) garantiu, nesta segunda-feira, 17, que não houve falha técnica no envase da vacina do Instituto Butantan e que cada frasco realmente contém as 10 doses previstas. Segundo a agência reguladora, o problema está na forma que as doses estão sendo extraídas, com o uso de seringas inadequadas. A área técnica informa que é preciso utilizar seringas de 1 ml. O uso de seringas maiores, de 3 ml, por exemplo, não seriam adequadas. Para chegar a essa conclusão, a Anvisa inspecionou as áreas de envase da CoronaVac e fez testes de extração e avaliação de queixas relativas a seringas e agulhas.

Ainda nesta segunda-feira, a agência informou que realizou uma reunião com o Instituto Butantan para discutir a nova versão do protocolo clínico para testes em humanos da vacina ButanVac. Nesta quarta-feira haverá um novo encontro para discutir os documentos e exigências relativas à produção e ao controle de qualidade da vacina contra a Covid-19. Para garantir a autorização do estudo em humanos, a agência reguladora avalia a proposta da pesquisa e como os dados do imunizante.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin