Biden reafirma apoio a Israel, mas apela a Netanyahu por cessar-fogo com Hamas

Ainda assim, o presidente dos Estados Unidos não exigiu o fim da situação; Washington diz que opiniões mais contundentes estão sendo feitas de forma privativa

  • Por Jovem Pan
  • 18/05/2021 06h53 - Atualizado em 18/05/2021 11h38
EFE/EPA/HAITHAM IMAD - 16/05/2021Casa Branca não condena os ataques militares israelenses em resposta aos foguetes lançados pelo Hamas

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, falou na segunda-feira, 17, com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, sobre a crise no país. Biden disse que é a favor de um cessar-fogo no confronto entre israelenses e palestinos. Ainda assim, não exigiu o fim da situação. Ele discutiu o compromisso dos Estados Unidos com o Egito e outros parceiros com esse objetivo, segundo a Casa Branca. Alon Lavi, cônsul geral de Israel em São Paulo, lamentou os danos e a morte de inocentes. “Além que nós tentamos evitar muito causar danos para a população civil dentro de Gaza, Hamas está usando a população civil da região como escudos humanos. Ele está baseado dentro da população e cria um desafio muito, muito grande.”

Em comunicado, o governo americano informou que o presidente reforça sua mensagem principal: o forte apoio ao direito de Israel de se defender de ataques indiscriminados com foguetes”. O texto ainda diz que o presidente americano “encorajou Israel a fazer todos os esforços para garantir a proteção de civis inocentes”. Com isso a Casa Branca não condena os ataques militares israelenses em resposta aos foguetes lançados pelo Hamas, que comanda a região da Faixa de Gaza. Fontes de Washington, no entanto, dizem que palavras e opiniões mais contundentes estão sendo feitas de forma mais privativa.

*Com informações do repórter Fernando Martins