BNDES tem lucro de R$ 5,3 bilhões no 2º trimestre

Resultado foi impulsionado pela venda de participações societárias, ações em terceiras empresas, como por exemplo Vale e Klabin

  • Por Jovem Pan
  • 13/08/2021 06h50 - Atualizado em 13/08/2021 11h14
Arquivo/Agência BrasilBNDES também foi beneficiado por um resultado positivo de R$ 1,4 bilhão com equivalência patrimonial da JBS

O BNDES teve um lucro liquido no 2º trimestre deste ano de R$ 5,3 bilhões, fechando o semestre com ganho de mais de R$ 15 bilhões. O resultado foi impulsionado pela venda de participações societárias, ações em terceiras empresas, como por exemplo Vale e Klabin, que contribuíram com lucro de R$ 7 bilhões. O BNDES também foi beneficiado por um resultado positivo de R$ 1,4 bilhão com equivalência patrimonial da JBS. No segundo trimestre, especificamente, o lucro de R$ 5,3 bilhões foi puxado pela venda de debêntures da Vale, R$ 2,1 bilhões, e por receita por dividendos e juros por capital próprio de empresas importantes — como Petrobras e Eletrobrás.

A carteira de participações em terceiras empresas fechou o segundo trimestre em R$ 69,3 bilhões — um crescimento de 12,7% graças à valorização desse portfolio. O banco já devolveu a União R$ 55 bilhões como forma de pagamento de empréstimos subsidiados conseguidos no passado durante os governo do PT. O saldo devedor ainda é robusto: quase R$ 100 bilhões. O acordo de devolução intermediado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) prevê que esses saldo é remanescente e seria pago da seguinte forma: R$ 45 bilhões esse ano e R$ 55 bilhões ano que vem. Mas isso pode mudar por conta da trajetória de juros, segundo o presidente do BNDES, Gustavo Montezano. “Como a curva de juros abriu, a curva soberana abriu, se o banco fizer esse pagamento hoje antecipando valor, o banco incorre com prejuízo financeiro.

Então, naturalmente, a premissa que a gente enviou ao TCU seria que não teria perda financeira ou econômica para o banco nesse pagamento. E, caso ocorra, permaneça aberta os juros altos na curva longa como está hoje, vamos pagar um pouquinho mais devagar porque naturalmente não podemos incorrer em perda de patrimônio” O BNDES também atualizou a saldo devedor de financiamento concedidos a terceiros, a outros países, no passado, nos governos do PT — Cuba, Venezuela, Moçambique e outros. Esse passivo, a vencer agora, totaliza US$ 1,5 bilhões — cerca de R$ 8 bilhões. Esses valores também estão sendo analisados pela CGU a pedido do presidente da República, Jair Bolsonaro.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga