Bolsonaro critica taxação de fortunas: ‘É crime ser rico no Brasil?’

Presidente questionou se existe algum ‘empresário socialista’ ou ‘empreendedor comunista’; segundo ele, a discussão é demagógica e populista

  • Por Jovem Pan
  • 03/08/2021 10h24 - Atualizado em 03/08/2021 10h25
MATEUS BONOMI/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDOJair Bolsonaro também descartou a possibilidade de aumento da carga tributária e tabelamento de preços no Brasil

O presidente da República, Jair Bolsonaro, praticamente descartou apoio à proposta de taxação de grandes fortunas no Brasil. Segundo ele, a discussão é demagógica e populista. “Dividir riqueza e renda? Alguém conhece algum empresário socialista? Algum empreendedor comunista? Alguns querem que eu taxe grandes fortunas, é um crime agora ser rico no brasil?”, questionou. Ele também descartou a possibilidade de aumento da carga tributária e tabelamento de preços que fez a Argentina, por exemplo, com a carne. Para o mandatário, a iniciativa significou falta do produto e aumento dos valores. “Escolhas erradas, populistas, demagógicas. Vendendo ilusão, prometendo o paraíso”, disse. A proposta apresentada pelo Ministério da Economia de reformulação do Imposto de Renda conseguiu desagradar tanto a classe média quanto os empresários. O texto prevê cobrando de 20% sobre os lucros e dividendos, o que incidiria sobre os ganhos dos empresários e acionistas. A discussão é antiga e sempre gerou polêmica. O Partido dos Trabalhadores (PT) tentou discutir o assunto, mas não avançou na matéria. Na época, a visão era que a taxação das grandes fortunas seria ineficiente.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin